A Fiat Chrysler Automobiles (Fca) anunciou a substituição de imediato de Sergio Marchionne como presidente executivo do grupo devido a problemas de saúde do italiano de 66 anos, que deixa também a presidência e direção executiva da Ferrari já a partir deste sábado.

“A Fca comunica com pena profunda que no decurso desta semana surgiram complicações inesperadas quando o Sr. Marchionne recuperava de uma cirurgia e que aquelas pioraram de forma significativa nas horas recentes”, referiu o grupo em comunicado citado pela Reuters.

No grupo Fca desde 2004 e tido como responsável pela recuperação da falência das marcas Fiat e Chrysler, Marchionne tinha funções previstas pelo menos até abril e já tinha também referido querer manter-se como presidente e diretor executivo da Ferrari até 2021.

Uma recente cirurgia ao ombro desenvolveu complicações – que não foram especificadas – que motivaram a saída imediata do gestor italiano.

Para o lugar de Marchionne na presidência executiva da Fca, o grupo nomeou o britânico Mike Manley, até agora responsável pela Jeep. Na Ferrari, os cargos de presidente e diretor executivo deixados vagos serão ocupados por duas pessoas: respetivamente, John Elkann (presidente da direção da Fca e herdeiro da família Agneli) e Louis Camilleri (membro da direção da Fca).