Várias iniciativas em todo o país assinalam nesta quinta-feira o Dia Mundial da Música, tendo a Sociedade Portuguesa de Autores, na sua tradicional mensagem alusiva à efeméride, salientado o papel dos músicos na promoção de Portugal.

“É importante recordar que, nestes anos de crise, tem sido, em boa parte, a atividade dos músicos, em termos criativos e interpretativos, a promover o nome de Portugal e a mostrar que, por grandes que sejam as carências e a falta de meios financeiros, o talento nunca se deixa silenciar quando há emoções, sentimentos e ideias para partilhar e projetar para o mundo”, lê-se na mensagem divulgada.

Em Elvas, no Alto Alentejo, estreia no cineteatro local, o musical "Portugal e o Mundo", sobre os descobrimentos, direcionado para as escolas do concelho, que conta com a participação de professores e alunos do Agrupamento de Escolas Michel Giacometti.

A Câmara e o Teatro Municipal da Guarda comemoram o dia com um espetáculo comunitário, “Sonograma - Dicotomias do Silêncio”, que envolve um grupo sénior da cidade, constituído por 12 mulheres e quatro homens, que frequentam o Programa Guarda + 65, que são desafiados a transportar "narrativas sonoras" para o público.

Em Coimbra, a banda Mancines, apresenta hoje, às 21:30, no Teatro Académico de Gil Vicente o seu novo CD inspirado no cinema italiano da década de 1950, como afirma em comunicado.

O CD é “uma viagem sonora, sem guia turístico, às profundezas de um inferno idílico”, assim o define a banda formada por Raquel Ralha, Toni Fortuna, Pedro Renato e Gonçalo Rui.

Hoje também chega ao mercado o novo CD do Quarteto Lopes-Graça, criado há dez anos, que contempla a 2.ª parte da Integral Lopes-Graça, que, tal como o primeiro, foi editado pela Toccata Classics.

O CD, que apresenta o Quarteto mais uma vez com Olga Prats, que toca um piano de 1938, inclui as Catorze Anotações, de 1966 e o Quarteto de Cordas n.º 2 de 1982, do compositor falecido em 1994.

A Casa das Artes de Famalicão assinala o dia com a atuação hoje às 21:30 dos The Folga Gaang Project, grupo macaense que apresenta “Picnic in the cemetery”, “um espetáculo para descobrir, ou melhor, experimentar, num concerto que é ao mesmo tempo uma performance teatral e uma experiência cinematográfica”, segundo nota desta sala minhota.

Em Lisboa, no Museu da Música, Paulo Gaia Lima protagoniza um recital com o violoncelo Stradivarius Chevillard, classificado como “tesouro nacional”, que pertenceu ao rei D. Luís, e que foi construído em 1725

Paulo Gaio Lima apresenta às 18:00 o recital "À volta das Suites de Bach".