As atuações na final da 63.ª edição do Festival Eurovisão da Canção, este sábado na Altice Arena, em Lisboa, ficaram marcadas por uma invasão de palco durante a prestação da intérprete da música do Reino Unido.

Um homem retirou o microfone à cantora SuRie enquanto esta defendia o tema “Storm”, impedindo-a de cantar durante cerca de 20 segundos. O ‘invasor’ ainda conseguiu dizer algumas palavras ao microfone, não percetíveis, mas acabou por ser retirado por seguranças.

Quando SuRie recuperou o microfone continuou a cantar e foi ovacionada no final da atuação pelos presentes na Altice Arena.

A organização, em comunicado divulgado através do Twitter, lamentou o sucedido e anunciou que o homem se encontra “sob custódia policial”.

Foi dada a possibilidade ao Reino Unido de repetir a atuação, mas a delegação inglesa decidiu não o fazer “por estar extremamente orgulhosa da atuação” e considerar “que não razão absolutamente nenhuma para apresentar a canção novamente”.

De acordo com o porta-voz da PSP, Hugo Palma, trata-se de um cidadão europeu que, após a detenção, foi retirado da Altice Arena.

À partida, a intenção dele seria passar uma mensagem e não tinha a intenção de magoar”, adiantou o responsável em declarações à Lusa.

Para já, a PSP não avança com mais informações, tendo Hugo Palma acrescentado que as imagens serão visionadas para tentar isolar o som e perceber o teor das palavras proferidas.

O que poderá acontecer a seguir depende “da formalização de uma queixa por parte da RTP”, disse.

Além disso, acrescentou, a PSP está em contacto com a delegação do Reino Unido “para tentar perceber se a cantora foi magoada e se quererá apresentar queixa”.