A noite de abertura da 23.ª edição do festival Paredes de Coura contou com um recinto cheio para ouvir bandas como TV on the Radio, que chegaram a elogiar a dança dos presentes.

O diretor do Vodafone Paredes de Coura, João Carvalho, havia afirmado, dias antes do começo do festival, que esperava “a maior enchente de sempre”, ao terem esgotado os passes gerais pela primeira vez na história do festival cujo recinto tem capacidade para 25 mil pessoas.

“Boa dança, boa dança”, afirmou, a dada altura do concerto, o vocalista de TV on the Radio, Tunde Adebimpe, banda que encerrou a noite no palco principal, perante um festival de Paredes de Coura que levantava pó, principalmente, na zona mais próxima do palco, onde a agitação era manifestada, quer pelos empurrões quer pelo ‘crowdsurfing’.

Os norte-americanos, que apresentavam o mais recente álbum, intitulado “Seeds”, depois de cancelados os concertos que tinham previstos para fevereiro em Lisboa e Porto, iniciaram a atuação, porém, com uma canção do passado da sua discografia, “Young Liars”, tema que deu nome ao EP de estreia da banda em 2003.

Antes, haviam passado pelo palco principal do festival – o único ativo durante a primeira noite – os outros cabeças de cartaz da noite, os ingleses Slowdive, que atuaram em Portugal pela segunda vez em pouco mais de um ano, depois da passagem pelo Primavera Sound do Porto em 2014.

A edição deste ano de Paredes de Coura arrancou com Gala Drop, seguindo-se uns “muito cansados” Ceremony, como reconheceu o vocalista no último concerto da digressão e os britânicos Blood Red Shoes.

Para o dia de hoje já não há bilhetes diários disponíveis, com os australianos Tame Impala como principal atração, O festival Paredes de Coura vai ter hoje o primeiro dia com os dois palcos ativos, estando os bilhetes diários esgotados desde o começo da semana face à atração principal de Tame Impala.

Também hoje se estreiam naquele concelho minhoto as Vozes da Escrita, uma parceria com a editora Tinta-da-china, no palco Jazz na Relva, que, entre as 13:00 e as 14:30 desde hoje até sábado, vai receber Carlos Vaz Marques, Matilde Campilho, Pedro Mexia e Rui Cardoso Martins.

Os concertos de hoje iniciam-se às 18:00 no palco Vodafone FM com as espanholas Hinds, às quais se seguem os nacionais peixe:avião, que abrem as atuações no palco principal meia hora depois.

Ao longo do fim da tarde e da noite, o Vodafone Paredes de Coura vai acolher ainda Pond, Steve Gunn, White Fence, Father John Misty, Iceage, Legendary Tiger Man e Tame Impala.

Father John Misty apresenta nas margens do rio Taboão “I Love You, Honeybear”, lançado em fevereiro deste ano pelo antigo elemento dos Fleet Foxes e que levou uma classificação de 8,8 em 10 pela publicação digital Pitchfork.

Já os cabeças de cartaz do dia de hoje, os australianos Tame Impala de Kevin Parker, regressam a Portugal depois de terem marcado presença no Alive de 2013, trazendo o terceiro álbum – “Currents” - para apresentar em palcos nacionais.

“Currents” foi descrito pela The Quietus como “algo fluído, delicado e mágico”, um disco composto por uma banda que “olhou para cima e foi em frente”.

Os ‘after-hours’ em Paredes de Coura arrancam às 02:15 com Mirror People, que depois dão lugar a Nuno Lopes a partir das 03:00.

O festival, que pela primeira vez em 23 anos esgotou os passes gerais, prossegue até sábado com nomes como The War on Drugs, Mark Lanegan Band, Temples ou Fuzz.