O vocalista dos U2 foi à Argentina questionar o presidente Mauricio Macri, sobre o desaparecimento há mais de dois meses de um ativista que participou num protesto indígena reprimido pela polícia.

Bono Vox afirmou que conversou, na segunda-feira, com Macri sobre Santiago Maldonado durante um encontro mantido na capital, Buenos Aires, manifestando-se “contente” por saber que o chefe de Estado argentino está a levar o caso “a sério”.

O cantor e também ativista irlandês é membro da Amnistia Internacional, organização que tem vindo a pedir respostas para o caso de desaparecimento que se tornou problemático para o governo argentino, com grupos de defesa dos direitos humanos a acusarem-no de fazer parte de um encobrimento.

Santiago Maldonado desapareceu a 1 de agosto último. O jovem, de 28 anos, que se transformou numa causa nacional, foi visto pela última vez quando participava num protesto de uma comunidade mapuche em Esquel, Chubut, no sul do país.

Os manifestantes exigiam a libertação de um líder indígena e a retoma das terras que pertencem à empresa de vestuário italiana Benetton.

Segundo o relato de testemunhas, Maldonado foi detido depois de ter bloqueado uma estrada.