Bono e quatro amigos foram surpreendidos quando uma porta traseira do jato particular foi arrancada em pleno voo. O irlandês estava a bordo do Learjet 60 D-CGEO numa viagem de duas horas de Dublin a Berlim, onde ia receber um prémio de música.

 

O grupo foi nomeado para receber um prémio no Bambi International Music Awards, em Berlim, mas Bono era o único membro dos U2 no avião, pois os colegas, Larry Mullen, The Edge e Adam Clayton, iriam mais tarde noutro voo.

 

O vocalista apanhou um voo mais cedo para assistir a uma função diplomática com Gerd Mueller, o ministro alemão de Cooperação Económica e Desenvolvimento. Mas quando o jato de Bono chegou à costa alemã, a porta traseira do avião foi arrancada.

 

«Ele foi extremamente sortudo, o avião poderia ter caído. Cerca de uma hora depois de a viagem ter começado, ouviram um grande estrondo vindo da parte traseira do avião. Ficaram assustados por um pouco, mas continuaram e fizeram a descida para o aeroporto de Berlim. Quando desembarcaram ficaram horrorizados ao saber que o compartimento na parte traseira do avião tinha desaparecido completamente», disse uma fonte próxima ao cantor ao Daily Mail irlandês.

 

«A porta e a bagagem tinham caído para fora. Não sabem se a porta e as malas caíram na água ou em terra, mas tiveram muita sorte. Estavam a uma altitude onde qualquer coisa poderia ter acontecido e todos eles sentem-se sortudos por estarem vivos», acrescentou a mesma fonte.

 

Como a porta estava fora da área pressurizada da cabine por isso não houve perda de pressão e não houve necessidade de usar máscaras de oxigénio.

 

As autoridades de aviação alemãs vão realizar uma investigação oficial sobre o incidente, uma vez que começou na sua descida para Schoenefeld, em Berlim.