O grupo britânico The Libertines vai atuar em julho no festival Optimus Alive, no Passeio Marítimo de Algés, juntando-se como cabeça-de-cartaz às bandas The Black Keys e Arctic Monkeys, anunciou a organização.

A banda rock, que teve uma existência intermitente desde finais dos anos 1990, anunciou em abril que regressaria aos palcos com uma atuação em julho num festival em Hyde Park, em Londres.

A esse concerto juntam-se agora mais dois, um em Espanha e outro em Portugal, a 12 de julho.

Os Libertines surgiram em Londres em 1997, com Carl Barât e Pete Doherty no cerne das composições, acompanhados de Gary Powell e John Hassall.

O sucesso nos anos seguintes foi muitas vezes eclipsado pelos problemas de Pete Doherty com droga, álcool e com as autoridades, causando instabilidade no grupo.

A banda atuou em Portugal em 2004, na altura para promover o segundo álbum, «The Libertines». O álbum de estreia, «Up the bracket», data de 2002.

Apesar do regresso dos Libertines aos concertos, não há previsão de edição de novo álbum, segundo a revista New Musical Express.

Pete Doherty atuou em Portugal em 2009 - na altura já tinha fundado os Babyshambles - e chegou a ser noticiada a presença do músico nos estúdios de Pedro Abrunhosa para gravar uma música, «Ballad of Grimaldi».

Carl Barât, que este ano fundou os The Jackals, esteve em Portugal em 2006 com outro dos seus grupos paralelos, os Dirty Pretty Things.

O festival Optimus Alive decorrerá de 10 a 12 de julho e conta no cartaz com nomes como The War on Drugs, Elbow, Cass McCombs, Kelis, MGMT, Imagine Dragons, Interpol, Unknown Mortal Orchestra, Au Revoir Simone, Chet Faker, Caribou e The Lumineers.

Entre os artistas portugueses contratados contam-se Beautify Junkyards, Buraka Som Sistema, Keep Razors Sharp, Paus, Sequin e Vicious Five.