O saxofonista e compositor norte-americano Benny Golson, 85 anos, atuará a 27 de junho no Teatro Tivoli e, no dia seguinte, no Hot Clube de Portugal, em Lisboa, acompanhado de músicos portugueses.

O músico atua em Portugal a convite do pianista Filipe Melo e do guitarista Bruno Santos.

Nos últimos anos, os dois músicos portugueses têm convidado várias personalidades do jazz para atuar em Lisboa, tendo já protagonizado concertos com artistas como Sheila Jordan, Peter Bernstein, Martin Taylor ou Herb Geller.

No dia 27, estarão a acompanhar o saxofonista, produtor e compositor, atualmente com 85 anos, «autor de muitos temas que se tornaram obrigatórios no repertório de qualquer músico de jazz», afirmam Filipe Melo e Bruno Santos em comunicado.

Benny Golson, que nas próximas semanas andará em digressão pela Europa e Japão, atuou com nomes como Dizzy Gilespie, Art Blakey, Benny Goodman e Earl Bostic, sendo autor de mais de 300 composições, entre as quais «Killer Joe», «I remember Clifford» e «Whisper not», consideradas «standards» do jazz.

Gravou mais de trinta álbuns e ainda assinou arranjos para John Coltrane, Miles Davis e Ella Fitzgerald, entre outros.

Em Lisboa, no Teatro Tivoli, estará com Filipe Melo (piano), Bruno Santos (guitarra), Bernardo Moreira (contrabaixo), Bruno Pedroso (bateria) e ainda, sob a direção de Pedro Mroreira, com uma «big band» formada por Zé Maria, César Cardoso, Ricardo Toscano, Daniel Vieira, João Capinha (saxofones), Gonçalo Marques, João Moreira, Diogo Pedro, Diogo Duque (trompetes) e Mário Amândio, Xavier Ribeiro, Rui Correia e Tiago Costa (trombones).

No Hot Clube de Portugal, no dia 28, estará sem a «big band».

Filipe Melo têm-se repartido entre o jazz, o cinema e a banda desenhada, sendo ainda autor de arranjos não só para jazz como para artistas de outras áreas, nomeadamente do pop rock.

Bruno Santos, guitarrista, é atualmente director da escola do Hot Clube de Portugal.