A Fundação Calouste Gulbenkian anunciou esta quinta-feira que vai entrar numa parceria com a Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo (OSESP) para promover, a partir de 2015, a estreia de obras musicais encomendadas a compositores brasileiros e portugueses.

Num comunicado hoje divulgado, a Gulbenkian sublinha o caráter inédito desta parceria entre as duas instituições culturais de Portugal e do Brasil, para promover e divulgar a música contemporânea dos dois países.

Cada obra de autor brasileiro será estreada em São Paulo, pela Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo e posteriormente apresentada pela Orquestra Gulbenkian, em Lisboa, e, inversamente, cada obra de autor português será estreada em Lisboa, pela Orquestra Gulbenkian, e tocada pela OSESP, em São Paulo.

Ainda segundo a fundação com sede em Lisboa, sempre que possível, as partituras serão publicadas pela editora Criadores do Brasil, da OSESP.

Para inaugurar o projeto, o compositor brasileiro Aylton Escobar vai compor uma obra para Coro e Orquestra, que terá sua estreia em concertos na Sala São Paulo, nos dias 30 de abril, 1 e 2 de maio de 2015, com a OSESP regida por Osmo Vänskä.

A mesma peça será ouvida nos dias 29 e 30 de outubro de 2015, pelo Coro e Orquestra Gulbenkian, dirigidos por Alondra de la Parra.

Em 2016, o compositor português Luís Tinoco terá uma obra sinfónica estreada em Lisboa, com a Orquestra Gulbenkian, e mais tarde interpretada pela OSESP em São Paulo.

A Fundação OSESP e a Fundação Calouste Gulbenkian, que desde sempre estimulam o conhecimento e a criação da música do nosso tempo, juntam assim esforços para promover a sua circulação, contribuindo para ampliar os laços culturais entre os dois países de língua portuguesa.

A Gulbenkian sublinha ainda que a parceria visa contribuir «para ampliar os laços culturais entre os dois países de língua portuguesa».