A cantora de ópera, Tamar Iveri, foi despedida da Ópera de Austrália, devido a comentários homofóbicos que publicou na página do Facebook.

A soprano, nascida na Geórgia, deveria interpretar em julho, «Desdemona», numa apresentação de Otelo em Sydney, mas a companhia cancelou o contrato.

Segundo a BBC, os comentários feitos no Facebook da cantora, aparentemente feitos há mais de um ano, falavam sobre o orgulho de Tamar em relação aos confrontos violentos ocorridos durante uma manifestação pelos direitos dos gays em Tbilisi. Um grupo de cristãos ortodoxos atacaram os participantes da manifestação.

«Fiquei muito orgulhosa pela forma como a sociedade georgiana atacou a manifestação», comentou a cantora no que seria uma carta ao presidente do país.

Os patrocinadores da Ópera de Austrália, incluindo a companhia aérea Qantas, protestaram contra os comentários da soprano. A Ópera de Austrália afirmou na própria página no Facebook que as declarações de Tamar foram irracionais e acrescentou ainda que a soprano não iria trabalhar mais com eles.

A cantora publicou depois um comentário, onde culpava o marido pelos comentários homofóbicos e que a própria não era homofóbica.

«Eu nunca tive preconceito contra nenhuma pessoa, seja por motivos religiosos ou raciais, ou por qualquer outro tipo de preconceito, incluindo aqueles em relação à preferência sexual», escreveu no Facebook.

«Não há ninguém que possa apresentar-se e dizer que eu já exibi qualquer preconceito contra os homossexuais. Eu já disse antes e digo aqui novamente que as palavras atribuídas a mim não eram minhas, e que eu, portanto, não posso assumir a responsabilidade pessoal por eles. Posso apenas repetir uma e outra vez que esta é a minha posição», acrescentou.