O «headbanging», um tipo de dança que envolve movimentos de cabeça violentos e sincronizados com música rock ou heavy metal, pode causar danos cerebrais, segundo um estudo de caso publicado hoje na revista médica britânica The Lancet.

Ainda que o «headbanging» [abanar a cabeça] seja geralmente considerado inofensivo, os médicos alemães autores do estudo relatam o caso de um homem de 50 anos que desenvolveu um hematoma no cérebro em janeiro de 2013, quatro semanas depois de ter participado num concerto da banda britânica de heavy metal Motorhead.

O paciente queixava-se de fortes dores de cabeça que se agravavam com o passar dos dias.

Os médicos descobriram um hematoma subdural(coágulo de sangue entre os tecidos das meninges que rodeiam o cérebro) que esvaziaram fazendo um furo no crânio.

Os hematomas subdurais surgem em regra na sequência de traumatismos cranianos. Quando os traumatismos são menores, o hematoma poder aparecer várias semanas após o choque.

Os hematomas são causados por uma compressão progressiva do cérebro.

A literatura científica dá conta de três casos semelhantes atribuídos ao «headbanging» nos últimos anos. Um dos doentes acabou mesmo por morrer devido a um hematoma subdural agudo.

«A incidência poderá ser mais elevada, uma vez que os sintomas deste tipo de ferimentos são normalmente silenciosas no plano clínico ou geram apenas dores de cabeça moderadas que desaparecem espontaneamente», sublinhou o médico Ariyan Piradesh Islamian, da Escola Médica de Hannover.

O «headbanging» foi também associado pela literatura científica a outro tipo de ferimentos como traumatismos da região cervical, dissecção da artéria carótida ou fraturas da segunda vertebra cervical.

Há várias técnicas de «headbanging», sendo a mais comum a conhecida como «up and down», que consiste em abanar a cabeça de cima para baixo.

Há ainda o «circular swing» ou «moinho de vento», que se traduz por num movimento circular e violento da cabeça ou o «side-to-side», um movimento da cabeça de um lado para o outro.