A juíza encarregue de julgar o processo de plágio contra a cantora Taylor Swift respondeu “à letra” ao cantor norte-americano Jesse Braham, que afirmou que o hit “Shake It Off” era uma cópia da sua música “Haters Gone Hate”.

A juíza Gail Standish sentiu-se inspirada para responder às alegações do cantor, que insinuou que 92% letra da música “Shake It Off” tinha sido copiada. Rejeitou o processo, que pretendia uma indemnização no valor de 38 milhões de euros, usando o próprio repertório de Taylor Swift.
 

“Presentemente, o tribunal não está a dizer que Braham não pode nunca, nunca, nunca voltar com o caso ao tribunal”, escreveu a juíza, numa clara alusão ao single “We Are Never Ever Getting Back Together”, onde Taylor canta no refrão “we are never, ever, ever getting back together”.


Mas a juíza não se ficou por aqui e resolveu citar um pouco de um dos novos sucessos da cantora, “Bad Blood”:
 

“Mas, por agora, temos problemas e o tribunal não tem certeza que Braham os possa resolver”. ("But, for now, we have got problems, and the Court is not sure Braham can solve them”), que partilha semelhanças com os versos “Now we got problems/ And I don't think we can solve them”.

“E, depois da ponderação do tribunal, Braham pode descobrir que a mera defesa com um penso-rápido não vai curar os buracos de balas (“Band-Aids will not fix the bullet holes”) no seu caso”. (No single “Bad Blood” surge a frase “Band-Aids don’t fix the bullet holes”).


Gail Standish provou conhecer bem a discografia de Taylor Swift, ao referir ainda o hit “Blank Space”.
 

“Como está redigida, a queixa tem um espaço em branco (‘blank space’) - que requere mais do que Braham escreva apenas o seu nome”.

“Pelo menos de momento, o réu conseguiu livrar-se (‘shaken off’) desta ação judicial”.


De acordo com o Los Angeles Times, o tribunal decidiu que o cantor não tinha apresentado provas suficientes para comprovar que Taylor Swift tenha cometido plágio.