O ex-contabilista da empresa de management dos Pearl Jam, Rickey Goodrich, admitiu em tribunal que desviou mais de 300 mil dólares (cerca de 219 mil euros) do dinheiro da banda para seu próprio proveito, noticia o «The Seattle Times».

Na sessão de quinta-feira, no tribunal do condado de King, em Seattle, Goodrich deu-se como culpado das seis acusações de desvio de fundos. O contabilista, despedido em 2010, terá usado o dinheiro para pagar viagens de família, compras variadas (de vinhos caros ou em sites como a Amazon ou o iTunes), contas de hotéis e restaurantes, e até um seguro pessoal de vida.

Goodrich é também acusado de fazer transferências de dinheiro não-autorizadas pela agência de management, a Curtis Inc., e de falsificar a assinatura do presidente da empresa e manager dos Pearl Jam, Kelly Curtis.

Apesar do ex-contabilista ter pagado 125 mil dólares (91 mil euros) de volta aos Pearl Jam, e de se comprometer a pagar mais 181 mil dólares (132 mil dólares) até fevereiro, Rickey Goodrich poderá, mesmo assim, vir a ser condenado a uma pena de prisão até 14 meses. O réu conhecerá a sua sentença no dia 21 de fevereiro.

Os Pearl Jam e o seu manager despediram Goodrich em 2010, depois do então contabilista da banda não ter conseguido explicar as discrepâncias de gastos durante a digressão de promoção do álbum «Backspacer».