O coletivo do Porto HHY & The Macumbas vai lançar, na segunda-feira, o primeiro álbum, intitulado «Throat Permission Cut», fechando um ciclo depois de anos de concertos em Portugal e no estrangeiro, disse o fundador, Jonathan Saldanha.

O grupo foi criado em 2008, sendo hoje composto por «à volta de oito» elementos, um número ajustável aos concertos que fazem, explicou à Lusa Jonathan Saldanha, que classificou o conjunto como «uma forma de ensemble desproporcional, segundo os padrões de agora, de 70% percussão», sendo o resto «sopros e manipulação».

Depois de inúmeras atuações em eventos como o Sónar Coruña ou o Primavera Sound, de digressões internacionais que os levaram a capitais como Paris, Bruxelas e Berlim, e da participação numa compilação da revista britânica Wire, o grupo lança agora o primeiro registo pela SILO com distribuição da CARGO, no que se pretendia que fosse «uma espécie de eco daquilo que foi gerado ao vivo».

«Sinto que o disco é uma espécie de eco e fim de ciclo dos últimos anos de concertos, porque aquilo que já estamos a tocar ao vivo e as intenções que temos já vão para outros caminhos», afirmou Jonathan Saldanha.

Os HHY & The Macumbas resultam de «10 anos de experimentação» com a plataforma de artistas SOOPA, também ela sediada no Porto, que permitiram «criar um núcleo de pessoas superatentas e superespertas», refere aquele elemento do conjunto.

«Construí já uma série de arquiteturas rítmicas que me pareciam que poderiam ter algum tipo de eco com um ensemble e nessa altura fazia essas construções rítmicas num interesse muito profundo que tinha - e que tenho - no vudu. Ritmos cerimoniais, de alguma forma uma pulsação que pode suster o tempo, mantê-lo preso», explicou Jonathan Saldanha.

Nesse contexto, havia ainda o cruzamento de várias referências como «música de filmes de série Z, filmes de terror», que tinham uma «componente muito objetiva», de onde surgiu a ideia de levar a concertos todas as influências em causa.

Jonathan Saldanha diz que o coletivo deverá levar a cabo vários concertos na sequência do álbum, incluindo uma digressão no estrangeiro, mas ainda sem data.