O novo CD do grupo Danças Ocultas, “Amplitude”, que conta com a participação da fadista Carminho, dos Dead Combo e da Filarmonia das Beiras, é editado nesta sexta-feira

O álbum, editado pela Sony Music, conta com 12 temas, todos de autoria e com arranjos dos Danças Ocultas, excetuando “Tardes de Bolonha”, de Rodrigo Leão, e da canção tradicional portuguesa “O diabo tocador”, inspirada numa canção de trabalho recolhida por Michel Giacometti, aqui interpretada por Carminho.

O CD foi gravado ao vivo, em maio do ano passado, durante os espetáculos do grupo na Casa da Música, no Porto, e no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Danças Ocultas são um grupo formado pelos músicos Artur Fernandes, Filipe Ricardo, Filipe Cal e Francisco Miguel, tendo já editado sete trabalhos discográficos. “Amplitude” celebra os 20 anos da sua carreira discográfica.

Os quatro músicos juntaram-se em 1989, com o intuito de desenvolver todas as possibilidades sonoras de um instrumento inventado na primeira metade do século XIX, o acordeão diatónico, conhecido em Portugal como concertina.

“Héptimo” é o tema que abre o CD, que inclui, entre outros, “Diatónico”, “Dança d’Alba”, “Pandora”, “Alento” e “No(c)turno das 7”.

Segundo uma nota do grupo, o tema “Dança II”, o 11.º do alinhamento do CD, "uma melodia alegre por cima do sopro ritmado dos foles, ilustra a abordagem urbana e contemporânea", sendo um dos “que mais identifica as Danças Ocultas”.

Os músicos apresentam o CD, em digressão no Canadá, na próxima semana.