O regresso dos ingleses Skunk Anansie ao Coliseu dos Recreios foi um reencontro entre velhos amigos, tal como tinha previsto o guitarrista Ace em entrevista ao IOL Música.

Nove anos após o último concerto em Portugal, durante o festival Vilar de Mouros, a banda liderada por Skin escolheu Lisboa como ponto de partida da nova digressão europeia. Os Skunk Anansie foram um fenómeno de vendas no nosso país no final da década de 1990 e esta terça-feira provaram que ainda conseguem encher de público o Coliseu de Lisboa.

Quem ainda não comprou o disco de greatest hits, «Smashes and Trashes», certamente que andou lá por casa a limpar o pó aos velhinhos três primeiros álbuns do quarteto inglês. As canções continuam bem vivas junto dos fãs e os Skunk Anansie mostraram que não perderam a pedalada com a paragem de oito anos.

A viagem pela carreira do grupo começou exactamente no princípio, com o single de estreia «Selling Jesus», de 1995. Arranque poderoso q.b. e com Skin a entrar em cena de forma singular - a cantora trouxe um vestido que mais parecia um enfeite de natal, bem brilhante e espalhafatoso.

Vídeo:



Ao segundo tema, foi lançado o primeiro Ás. A guitarra suja de «Charlie Big Potato» contagiou rapidamente uma plateia pronta a saltar e a acompanhar a voz de Skin desde o verso até ao refrão. Bem recebida foi também a primeira das quatro novas canções dos Skunk Anansie, «Because of You», uma mistura entre a veia baladeira e os riffs pesados, à semelhança de «Charity», entre outras receitas de sucesso junto dos fãs.

Outra das novidades, e esta fora de «Smashes and Trashes», foi «I Don't Wanna Kill You», quem sabe um dos temas do próximo álbum de estúdio. Animada, mas algo desconexa, a canção teve a aprovação do público, especialmente com a deixa «I don't wanna talk/'cause I just wanna fuck you».

Fotos:



«Weak» foi cantado bem na cara dos fãs, com Skin a descer do palco para se juntar a todos os que gritavam «weak as I am», enquanto que «Brazen» teve direito a novo coro de vozes da plateia numa das baladas mais aplaudidas da noite.

De volta aos refrões cantados aos pulos na plateia, Skin ofereceu «Twisted» a quem quisesse dançar. «On My Hotel TV» serviu de rampa de lançamento para o novo e incendiário «Tear The Place Up», um dos temas com mais energia ao vivo e que por momentos faz lembrar The Prodigy.

Já na fase final do concerto, e divididos por dois encores, eis que surgiram os inevitáveis «Hedonism», «Little Baby Swastikkka» e «You'll Follow Me Down», este último servido como despedida final e com um «até à próxima». Pelo meio ainda houve um «Squander» que deixou algo a desejar, mas a noite já estava ganha há muito.

O Coliseu dos Recreios foi o local perfeito para o arranque da digressão e o reencontro da banda com o público nortenho acontece esta quarta-feira, no Coliseu do Porto. Os Skunk Anansie até podem não ser geniais, mas a sua química em palco continua a conquistar o público português.

Alinhamento do concerto:

1. Selling Jesus

2. Charlie Big Potato

3. Because of You

4. Charity

5. 100 Ways To Be a Good Girl

6. I Can Dream

7. I Don't Wanna Kill You

8. Weak

9. Brazen

10. Twisted

11. Cheap Honesty

12. On My Hotel TV

13. Tear The Place Up

14. The Skank Heads

Encore 1

15. Hedonism

16. Squander

17. Little Baby Swastikkka

Encore 2

18. You'll Follow Me Down