Lemmy Kilmister, vocalista e baixista dos Motörhead, foi obrigado a fazer uma operação para a colocação de um pacemaker no coração. A revelação foi feita pelo guitarrista Phil Campbell, que assegurou que a saúde do líder da banda britânica tem melhorado desde então.

«O Lem pôs um pacemaker no início do ano porque os seus batimentos cardíacos eram irregulares, e depois os diabetes pioraram», contou Campbell em entrevista ao site Wales Online.

«Mas o coração dele está melhor agora e ele fez mudanças suficientes no estilo de vida e na sua dieta para combater os diabetes», acrescentou, explicando que a banda acordou adiar a nova digressão para que Lemmy recuperasse «a cem por cento».

O guitarrista dos Motörhead falou ainda da dificuldade que Lemmy teve em dar o braço a torcer, e admitir que precisava de cuidados médicos e de mudar de estilo de vida: «Durante toda a vida ele apresentou-se como um "durão", o que fez com que fosse difícil abrir-se às pessoas. Ele é como o John Wayne do rock - sempre a querer resistir e a lidar com os problemas sozinho».

O novo álbum dos Motörhead, «Aftershock», foi lançado em outubro e é o 21º disco de estúdio da banda formada em 1975. De saúde renovada, Lemmy e companhia têm regresso marcado aos palcos para fevereiro do próximo ano, altura em que continuam a tournée europeia entretanto interrompida.