Os GNR editam um novo álbum em março e contarão com dois novos músicos convidados, o baterista Samuel Palitos e o teclista Paulo Borges, afirmou à agência Lusa Toli César Machado, músico fundador da banda.

O núcleo duro dos GNR continua a ser constituído por Toli César Machado, Jorge Romão e Rui Reininho, mas pela banda têm passado outros músicos, sobretudo para assegurar os espetáculos, pelo que se dá agora uma renovação. Nas guitarras mantém-se Andy Torrence, mas Samuel Palitos (A Naifa e ex-Censurados) entra para a bateria e Paulo Borges (Rita Redshoes), para os teclados.

Esta alteração faz parte de uma mudança de estratégia na forma como os GNR se querem posicionar no panorama português, e que passa, por exemplo, pela edição do novo álbum pela Indiefada, um selo discográfico criado pela banda.

«Não estávamos contentes com as coisas como estavam e decidimos avançar. É uma coisa que já outras bandas fazem, isto da edição própria, até porque os discos cada vez se vendem menos. Nós demorámos um bocadinho, mas estamos a adaptar-nos ao mercado», disse.

Para o diretor artístico, compositor e único membro que permanece desde a fundação, os GNR têm de explorar sobretudo a vertente ao vivo - «ainda temos muito gozo em tocar, pelo menos eu tenho» - e as novas formas de escuta e difusão de música, nomeadamente o "streaming" em serviços "online" como Spotify.

Os GNR já não editam um álbum de originais desde 2010, ano em que publicaram «Retropolitana». Pelo meio editaram uma coletânea com versões de temas antigos e um DVD ao vivo.

O novo registo, ainda sem título, é produzido por Mário Barreiros e tem como single o tema «Cadeira eléctrica». Toli César Machado diz que o álbum é um regresso aos tempos antigos dos GNR.

            

«É um bocadinho voltar ao início, com menos convidados, e retomamos o som dos GNR, aquelas marcas da banda, nas baterias, nas guitarras, um som mais limpo, com menos instrumentos», elencou o músico.

Ainda antes de lançar o novo álbum, os GNR mantêm a agenda de concertos, já com a nova formação: 07 de fevereiro, em Vinhais, 20 de fevereiro, em Tomar e, no dia seguinte, em Portalegre.