E a chuva parou para que os Maroon 5 subissem ao Palco Mundo do Rock in Rio Lisboa. Depois de uma tarde de intempérie (já lá vamos), o céu fechou comportas e Adam Levine surgiu em palco.

Com um alinhamento recheado de hits, a banda norte-americana não fez esperar aos 85 mil pessoas que, de acordo com a organização, entraram na Cidade do Rock ao quarto dia de festival. Pouco passava das 23:45 quando o palco mostrou uma selva e "Animals" soou pelo parque da Bela Vista.

O público não se intimidou com os uivos que se fizeram ouvir e, assim que a música começou, mostrou saber na ponta da língua as músicas que Adam Levine e companhia trouxeram para o último concerto de sábado. E a banda agradeceu e garantiu que o público português "tem um ritmo magnífico", ao contrário dos norte-americanos.

Foi um concerto a todo o gás e o mais curto do festival. Com poucas pausas - apenas para um ou outro "obrigado" e "adoramo-vos" - o vocalista conseguiu ir puxando pelos milhares de fãs que aguentaram estoicamente a chuva que fez muita gente abandonar o recinto.

E a banda não desiludiu e trouxe temas mais antigos como “This love” e “Sunday morning”, mas também uma surpresa. No arranque do encore, Adam Levine pegou na guitarra e tocou "Lost Stars", música composta para o filme "Num Outro Tom", onde o vocalista participou e cantou/tocou o tema com Keira Knightley.

Após o tema surpresa, a música mais esperada da noite: "She Will Be Loved". Ao longo do recinto, muitos foram os fãs que se questionaram quando é que o célebre tema soaria na Bela Vista. E como diz o ditado, o melhor ficou para o fim. 

Depois da balada da noite era tempo para animar as hostes e Maroon 5 puxaram pelo público com "Move Like Jagger" e com o hit mais recente da banda, "Sugar", do último álbum "V".

Sem "poeira", mas só porque a chuva não deixou

Ivete Sangalo já é "da casa". Naquela que foi a sétima presença da cantora brasileira no festival, a Rainha do Axé mostrou porque é que o público gosta tanto dela.

Enquanto o concerto decorria ao som de êxitos que compõem os 20 anos de carreira de Ivete, o público "tirou o pé do chão" e samba não parou pelo recinto. Só não houve o famoso "levantar de poeira" porque a chuva que caía com insistência não deixou. 

“Arêrê”, “Na base do beijo” e “Abalou” foram alguns do temas cantados por Ivete Sangalo que ainda cantou Bob Marley e ouviu o público cantar-lhe os parabéns.

O que também não ficou esquecido foi a comunidade brasileira e a crise política no Brasil. A cantora lembrou que o país está a viver “um momento muito difícil” e que acordou para uma “crise moral”.

Tenhamos a moral de concertar o que foi feito. Tenhamos integridade e a sorte de pensar certo. Boa sorte ao meu Brasil”.

E a festa começou em português

O tema chuva foi recorrente neste sábado e começou ainda antes de D.A.M.A se estrearem no Palco Mundo. Mas desengane-se quem pensa que os fãs da banda desarmaram da frente de palco.

Em clara euforia, o público - na sua maioria crianças e adolescentes - recebeu Miguel Cristovinho, Miguel Coimbra e Francisco Pereira de braços abertos e mostrou ter as letras na ponta da língua, principalmente “A balada do desajeitado”, “Às vezes”, “Não Dá”, mas também o tema "Não faço questão" que a banda gravou com Gabriel o Pensador. O músico brasileiro subiu ao palco e deu ainda um bónus ao público: “2.3.4.5 meia.78” soou em Lisboa para gáudio dos fãs.

Enquanto o concerto decorria - e a chuva engrossava - o parque da Bela Vista compunha-se para o dia que ainda agora estava a começar. 

Mas nem só de palco mundo se faz o Rock in Rio e, no palco Vodafone, o dia contou com a presença dos portugueses Capitão Fausto e dos norte-americanos Real Estate. 

A noite ficou ainda marcada pelo anúncio do cancelamento do concerto de Ariana Grande, agendado para este domingo, último dia do Rock in Rio Lisboa.