O Rock in Rio realiza-se em finais de maio do próximo ano em Lisboa e tem uma estimativa de investimento na ordem dos 25 milhões de euros, disse, esta sexta-feira, Roberta Medina, vice-presidente executiva da empresa organizadora.

Em 2014 o Rock in Rio celebra dez anos em Portugal, e volta ao parque da Bela Vista nos dias 23, 25, 30 e 31 de maio e no dia 1 de junho.

Referindo-se às datas de 23 e 25 de maio, Roberta Medina afirmou que se irá aproveitar o envolvimento da final da Liga dos Campeões que se joga no Estádio da Luz, em Lisboa.

«Iremos aproveitar os turistas que vão vir e fazer uma grande festa do futebol e da música», disse Roberta Medina.

A responsável quer atingir os dois milhões de espectadores com a edição de 2014. O total das cinco edições do evento realizadas em Lisboa, de 2004 a 2012, é de 1,7 milhões de espectadores.

Roberta Medina salientou a importância de Portugal para a internacionalização do Rock in Rio e para a criação de valor acrescentado ao evento.

«Portugal é o melhor caminho a internacionalização das marcas», da lusofonia, disse Roberta Miranda, adiantando que «decorrem negociações para se realizar o Rock in Rio em Las Vegas (EUA), em Lima (Perú) e em Berlim (Alemanha), e depois de Lisboa já se realizou em três países».

A responsável salientou os conhecimentos novos e experiência trazidos para o evento pelas empresas e trabalhadores de Portugal que constituem «uma mais-valia» e «renovaram» o evento.

Esta sexta-feira foi dado «o pontapé de saída», nas palavras de Roberta Medina, que sublinhou o peso económico do Rock in Rio.

O evento cria 45 mil empregos diretos ou indiretos e «por cada euro investido há um reflexo de três euros na economia da cidade», disse Medina, citando um estudo da Universidade Católica Portuguesa.

Roberta Medina, que não adiantou quaisquer nomes para o cartaz de 2014, referiu os apoios dados pelo Rock in Rio a projetos sociais e ecológicos em Portugal.

Em parcerias ecológicas foram investidos 2,7 milhões de euros, disse a responsável, que referiu a plantação de árvores que se estende até 2016 e os painéis fotovoltaicos instalados em escolas. Na área da solidariedade social referiu os projetos apoiados no âmbito da SIC Esperança.