«Olá Lisboa! Olá Portugal! É bom estar de volta. Não sei mais português».

Foi desta forma que Mick Jagger se apresentou perante as cerca de 90 mil pessoas que o esperavam no Parque da Belavista, em Lisboa, para o último concerto do segundo dia da sexta edição do Rock in Rio Lisboa, duas músicas depois de ter iniciado o espetáculo.

A banda britânica voltou a atuar em terras lusas sete anos depois da última no Estádio de Alvalade a 25 de junho de 2007.

Rolling Stones voltam a Portugal pela sexta vez

Mick Jagger e companhia entraram em palco com «Jumpin' Jack Flash», seguindo-se «It's Only Rock and Roll (But I Like It)». À quarta música surgiu a surpresa da noite: Bruce Springsteen foi o convidado especial e acompanhou os Rolling Stones em «Tumbling dice». O segundo convidado a subir a palco foi Gary Clark Jr., que atuara antes, para tocar «Respectable», um êxito da década de 1970, do álbum «Some girls».

Apesar de ter garantido que não sabia «mais português», Mick Jagger ainda teve tempo para avançar ao «público maravilhoso» (palavra de vocalista!) que «Portugal vai ganhar a Copa do Mundo» e que «Portugal e Inglaterra vão jogar na final».

No entanto, nem só de futebol era composto o vocabulário do vocalista da banda, que durante a apresentação da mesma não duvidou em perguntar a Ron Wood «onde compraste esses sapatos?».

A atuação dos Rolling Stones ficou marcada por êxitos como «Miss You» - que contou com a colaboração de um coro lisboeta - «Gimme Shelter», «Start Me Up», «Sympathy for the Devil» e «You Can't Always Get What You Want». O concerto não podia acabar de outra forma que não com o maior êxito da banda, cantado a plenos pulmões pelos fãs e no meio de fogo-de-artifício, «(I Can't Get No) Satisfaction».





Antes dos Rolling Stones, nesta quinta-feira, subiram também ao Palco Mundo Rui Veloso com Lenine e Angélique Kidjo, Xutos & Pontapés e Gary Clark Jr. Às 22:30, de acordo com dados da organização, tinham entrado no Parque da Belavista 86 mil pessoas, entre as quais Bill Clinton, segundo a Lusa, Ana Moura - que atuou com a banda em 2007, a banda Deolinda, António Costa, presidente da Câmara de Lisboa, e António Mexia, presidente da EDP.