Os únicos elementos dos The Doors ainda vivos, Robby Krieger e John Densmore, estão preparados para deixar as desavenças de lado e tocarem juntos num concerto em homenagem ao recentemente falecido Ray Manzarek.

Em entrevista à revista «Rolling Stone», Krieger revelou que a atuação deverá acontecer até ao final do ano, o que marcará a primeira vez em 13 anos que o guitarrista e o baterista dos Doors partilham um palco.

«Vamos dar pelo menos um concerto pelo Ray e fazer uma grande despedida. Será o começo ou o fim [da reunião], não sei», disse Robby Krieger.

A morte do teclista Ray Manzarek, em maio, terá levado assim os dois músicos a enterrarem o machado de guerra depois de uma década de disputas.

Em 2002, John Desmore recusou juntar-se a Manzarek e Krieger para tocar as músicas dos Doors e o baterista acabou por processar os dois antigos colegas quando estes começaram a atuar sobre o nome The Doors of the 21st Century.

Em resposta, o guitarrista e o teclista adotaram um novo nome para a banda (Riders on the Storm, com Ian Astbury, dos The Cult, como vocalista) e contra-atacaram Desmore com um novo processo, de mais de 30 milhões de euros, por este se recusar a assinar um contrato multimilionário de cedência de canções dos Doors para publicidade.

«É o que tu fazes quando alguém de processa - processa-os de volta a dobrar e esperas que eles desistam. Foi uma ideia muito estúpida. Nós tínhamos os piores advogados de sempre», lamentou Robby Krieger.

Sobre a morte de Ray Manzarek, o guitarrista dos Doors disse à «Rolling Stone» que só se apercebeu que o estado de saúde do amigo e colega se tinha deteriorado ao longo do último ano, mas que o teclista teve uma boa vida.

«Ele divertiu-se. Para um homem do rock 'n' roll, 74 anos é uma boa idade», contou.