O músico português Rodrigo Leão edita esta sexta-feira o álbum "Retiro", gravado com o Coro e a Orquestra Gulbenkian e que sai com o selo da editora alemã Deutsche Grammophon.

Ao fim de trinta anos ligado à música, desde a fundação da Sétima Legião, Rodrigo Leão edita pela primeira vez por aquela editora discográfica e trabalha, também pela primeira vez, com a Orquestra Gulbenkian.

"Retiro" é "um disco mais espiritual, muito cinematográfico, é quase um momento de reflexão em relação à nossa existência", como contou Rodrigo Leão à Lusa, no verão, quando gravou as composições com o coro e a orquestra.

Rodrigo Leão apresentará o álbum em três concertos que vão contar com a participação do Coro e da Orquestra Gulbenkian - quase uma centena de pessoas -, sob a direção do maestro Rui Pinheiro: a 18 de novembro no Coliseu do Porto, e nos dias 20 e 21 desse mês, no Coliseu de Lisboa.

O álbum "é quase uma espécie de elogio à vida". "Tem muita esperança, tristeza, tem todos os sentimentos que habitualmente estão presentes na minha música, a melancolia", referiu.

"Retiro", que foi misturado em Berlim, conta ainda com o quarteto de cordas que habitualmente toca com Rodrigo Leão - Viviena Tupikova, Bruno Silva, Carlos Tony Gomes e Denys Stetsenko -, com a acordeonista Celina da Piedade e com a cantora Selma Uamusse.