A fadista Ana Moura edita esta semana um duplo CD com a atuação no Festival Caixa Alfama, em Lisboa, em vésperas de cantar na Geórgia e na Áustria, escreve a agência Lusa.

O duplo CD é constituído pelo mais recente álbum da fadista, «Desfado», produzido por Larry Klein, e o registo da atuação no passado 20 de setembro no Festival Caixa Alfama, numa palco instalado num antigo armazém à beira do rio Tejo.

Nesta atuação a fadista interpretou 11 temas, entre os que considerou mais significativos da sua carreira, como «Leva-me aos Fados», «A Fadista», «Os Búzios» e «O Caso Arrumado».

Ana Moura foi acompanhada por Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Pedro Soares na viola, André Moreira no baixo acústico, Mário Costa na bateria e percussões, e João Gomes nos teclados.

Do alinhamento do espetáculo fizeram também parte, entre outros, «Porque Teimas Nesta Dor», «E Tu Gostavas de Mim», «Bailinho à Portuguesa», «Amor Afoito», e «Desfado», tema que dá título ao álbum editado o ano passado,

Sobre «Desfado», gravado entre Almada e Los Angeles, a fadista afirmou à Lusa que «é diferente» do que tem feito.

«Mas, para mim, era o que fazia sentido e dava continuidade ao que estava a fazer nos últimos anos, com as diferentes colaborações», sublinhou.

A fadista afirmou que tem tido uma «agenda cheia» e, entre outras digressões, realizou, no ano passado, uma por 25 palcos norte-americanos, «sempre com casas lotadas».

Ana Moura apresentou-se na Alemanha, Suíça, Colômbia, Inglaterra, Marrocos, França, Luxemburgo, Bélgica, Holanda, entre outros países.

Este mês, Ana Moura atua na sexta-feira em Tiblissi, na República da Geórgia, seguindo para St. Polen, na Áustria onde atuará no sábado no Festspielhaus, seguindo para Gleisdorf, também na Áustria, onde, no domingo, sobe ao palco da sala principal do Forum Kloster.

No dia 20 dezembro, já em Portugal, a criadora de «Hoje Tudo Me Entristece», canta no Teatro Municipal de Bragança, e no dia seguinte no Pavilhão Multisusos, em Guimarães.

Desde 2003, Ana Moura editou cinco álbuns de estúdio, um deles duplo, e um disco ao vivo, e tem participado em vários projetos de outras áreas musicais, como aconteceu com os Rolling Stones, Prince e Caetano Veloso. Em 2008 recebeu o Prémio Amália Rodrigues para a Melhor Intérprete.