O rapper norte-americano Tekashi69 diz ter sido sequestrado, agredido e roubado quando estava a regressar a casa, em Nova Iorque, após ter estado na gravações do seu novo videoclipe.

De acordo com o site TMZ, o assalto aconteceu por volta das quatro da manhã de domingo em Brooklyn, Nova Iorque, nos Estados Unidos, quando o carro em que Tekashi69 seguia foi abalroado por outro. 

O rapper terá sido então atacado por três homens encapuzados que o agarraram e agrediram com uma arma, deixando-o sem-inconsciente.

Os agressores terão colocado o rapper no banco de trás do seu carro, conduziram-no até casa, onde lhe exigiram dinheiro e jóias, ameaçando-o de morte, caso a exigência não fosse cumprida.

Da casa do rapper, onde estavam a sua mãe e a filha, os agressores levaram joias, num valor estimado de 640 mil euros, e cerca de 15 mil eruso em dinheiro.

Tekashi69 seguiu ainda com os agressores no banco de trás do carro. Terá depois conseguido escapar, abrindo a porta e saltando. Pediu ajuda a quem encontrou e acabou por ser levado pelos serviços de emergência para um hospital, onde ficou internado.

Face a algumas incongruências nos relatos feitos à polícia, Tekashi69 apressou-se a garantir que tudo o que aconteceu foi real e não se tratava de um acto promocional do seu novo videoclipe.

O jornal britânico Metro, na sua página online, dá conta que as câmaras de videovigilância instaladas na casa do rapper mostram a violência a que o mesmo foi sujeito.

Tekashi69 usou entretanto o Instagram para mostrar que já está bem, mas que pensou que iria morrer. À descrição juntou a fotografia do rapper XXXTentacion que foi assassinado no mês de junho. Nesse mesmo mês, dias depois, também Jimmy Wopo, de 21 anos, foi mortalmente baleado na cidade de Pittsburgh, no estado da Pensilvânia.