Depois do Governo ter caído, esta terça-feira, como estará Pedro Passos Coelho? Esta foi a pergunta que motivou  Vasco Palmeirim a escrever mais um hino à atualidade política portuguesa.

O animador da Rádio Comercial serviu-se do hit dos Sitiados, "Esta Vida de Marinheiro", para dar voz ao primeiro-ministro e ao alívio que sentiu, depois de sair do poder.

Num adeus alegre a Portas, às manifestações e ao FMI, "Estas foram as palavras do primeiro-ministro ontem, após saber que o governo tinha caído".

 

A letra de "Esta vida de ser primeiro"

“Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim

 

Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim

 

Foi ontem em Lisboa

Dia para os anais

Fui tramado pela esquerda e pelo tipo dos animais

 

Tomámos posse dia 30

Isto não durou um boi

Este governo foi do tipo: ‘vai ser tão bom, não foi?’

 

Não queria nada disto

Não queria acabar assim

Mas a verdade é que agora tenho algum tempo para mim

 

Se alguém perguntar

‘O Passos onde está?’

Aqui o “je” está a jogar Super Mário em Massamá

 

Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim

 

Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim

 

Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim

 

Não me falem mais em greves

Não quero saber de moções

Do IRS, IVA, TAP e outras privatizações

 

Livrei-me de ‘manifes’

E das brigadas de choque

Já posso ir à Moita para os bares de caraoque

 

A Merkel vai ligar

Digam que eu estou ‘knock-out’

Adeus àquele perfume de " warstvout"...

 

Não há mais olás à Troika,

Reuniões com o FMI,

Já não ouvi ouvir o Portas a perguntar se eu vi o ‘Glee’

 

Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim

 

Esta vida de ser primeiro já não é para mim

Raparaparaparaparaparaparim”