A pianista Maria João Pires foi distinguida pelos prémios Gramophone com a gravação dos concertos de piano nº3 e nº4 de Beethoven, anunciou a organização, que entrega os galardões a 17 de setembro, em Londres.

Os prémios dirigidos à indústria discográfica de música clássica são atribuídos anualmente pela revista britânica Gramophone através da votação de membros da indústria e um júri de críticos que distinguiu a pianista portuguesa na categoria Concerto. Ao todo os prémios têm 12 categorias e o Artista do Ano é votado online pelo público.

Maria João Pires gravou o disco com a Orquestra Sinfónica da Rádio Sueca, sob direção do maestro britânico Daniel Harding, tendo sido o primeiro lançamento da pianista na editora Onyx Classics, onde entrou em 2013.

A pianista de 70 anos terminou nessa data o contrato com a Deutsche Grammophon, onde se encontrava desde 1989, recorda a Lusa. 

Em 2015, Maria João Pires atuará, entre outras orquestras, com a London Philharmonic Orchestra, Concertgebouw Orkest, Boston Symphony, Deutsche Staatsoper Orchester Berlin, Orchestre National de Lille, Lucerne Symphony, London Chamber Orchestra, Orquesta Nacional de España, Orchestre de Capitole de Toulouse, Orchestra Filarmonica della Scala, Budapest Festival Orchestra e a Chamber Orchestra of Europe.

Maria João Pires deu o seu primeiro recital público em 1948, estudou com Campos Coelho e Francine Benoit, prosseguindo os estudos na Alemanha com Rosl Schmid e Karl Engel.

Desde 1970 que se dedica à reflexão sobre a importância da arte na comunidade e na educação, procurando desenvolver novas formas de implementar teorias pedagógicas na sociedade.