Erros meus, má fortuna e um estranho "amor" ardente parecem estar a transformar os "sonhos de menino" do mais popular cantor português em pesadelos de uma carreira. Acusado de onze crimes de plágio pelo Ministério Público, Tony Carreira explicou-se numa entrevista exclusiva ao Jornal das 8 da TVI, esta segunda-feira, onde se queixou de estar a ser perseguido pelo editor Nuno Rodrigues, com quem em tempos teve uma questão em tribunal.

Estou a ser alvo de uma pessoa que já me colocou um processso em tribunal. A justiça deu-me razão e neste momento não olha a meios", afirmou Tony Carreira, recordando um caso ocorrido há cerca de dez anos.

Segundo o cantor, nessa altura a editora Companhia Nacional de Música (CNM) - fundada em 1993 por Nuno Rodrigues, antigo guitarrista do histórico grupo Banda do Casaco, que pontificou na música rock nas décadas de 70 e 80 do século passado - lançou um CD com canções normalmente interpretadas por si e cantadas nesse disco por Miguel Oliveira.

A capa do CD "Os melhors covers - Tony Carreira", segundo o próprio induzia "o público em erro".

Pedimos para esses discos fossem retirados do mercado, o que aconteceu", contou Tony Carreira, segundo o qual, o editor Nuno Rodrigues viria depois a processá-lo, num caso que acabou por perder.

Desde então esse senhor nunca mais me largou. Apaixonou-se por mim e estou a ser alvo dessa pessoa", desabafou Tony Carreira, no jornal das 8 da TVI.

"Errei por pouca experiência musical"

Acusado agora de plagiar onze músicas pelo Ministério Público, o cantor assume, contudo, que em três dessas canções já reconheceu não ser seu autor. Há cerca de dez anos, quando foi confrontado com essas situações por parte dos autores, Tony Carreira negociou - "os autores receberam todo esse dinheiro com multa incluída" e passou a ser apenas "adaptador" dos temas. 

Nos anos 90, claramente por falta de experiência, há canções que são parecidas, muito similares, muito em cima do original. Não vou negar.Quando isso aconteceu encontrei-me com o publishing que representava esses cantores e autores e ficou tudo resolvido como deve ser feito. Aliás, gostaram tanto das canções cantadas por mim que fizeram questão que eu fosse creditado nesses discos", referiu Tony Carreira.

Uma das canções era a popular "Depois de ti mais nada". Ou "Después de Ti...Qué", da autoria do cubano Rudy Pérez.

Fiquei com uma relação tão boa, que neste momento trabalho já há muitos e longos anos com o Rudy Pérez. No meu último disco, metade foi em composição com ele", sublinhou Tony Carreira.

"Canções que nunca assinei como minhas"

Contas feitas, nos onze casos de plágio estão incluídas três da cinco canções que Tony Carreira já assumiu há uma década não serem suas. Segundo o cantor, há quatro que estão corretamente identificadas nos discos, com os seus devidos autores, e outras quatro em que nunca reclamou a autoria.

Este senhor coloca aqui canções que eu nunca assinei como minhas", sustenta Tony Carreira em relação a Nuno Rodrigues, acusando o proprietário da CNM de lhe ter proposto um acordo: "A última conversa que houve foi de que se eu desse 30 mil euros ficava por ali".

Não passa pela cabeça que alguém venha ter comigo a propor-me um acordo. Alguém que não é nem autor, nem compositor de nenhuma dessas canções", referiu Tony Carreira, insistindo estar a ser alvo de "uma vingança pessoal de alguém que não deve ter um bom íntimo".

Estou de boa fé e espero que a justiça me dê razão", concluiu o cantor na entrevista ao Jornal das 8 da TVI.

 

Acusações de plágio: Tony Carreira perde credibilidade ao assumir que errou?

Publicado por TVI24 em  Terça-feira, 19 de Setembro de 2017