O tenor francês Michel Sénéchal, que protagonizou uma carreira lírica internacional, morreu, aos 91 anos, nos arredores de Paris, anunciou este domingo um amigo.

O cantor lírico encontrava-se no Hospital de Eaubonne, a 21 quilómetros a norte de Paris, onde morreu na noite de sábado para domingo, disse à agência noticiosa francesa AFP o tenor Stéphane Sénéchal.

O cantor lírico Stéphane, por admiração e com a autorização do seu amigo Michel Sénéchal, passou a usar artisticamente o apelido Sénéchal, em vez do de registo, Malbec-Garcia.

Michel Sénéchal começou a cantar como menino de coro na igreja de Sant-Leu, em Taverny, nos arredores de Paris, matriculando-se, posteriormente, no Conservatório da capital francesa, e tornou-se conhecido na década de 1950, "graças ao seu talento como ator e à sua agilidade vocal", segundo a Academia Internacional da Música Francesa.

O tenor foi figura de destaque nos elencos da Ópera de Paris e na Ópera-Cómica, atuou durante 23 anos no Festival Internacional de Arte Lírica, em Aix-en-Provence, no sudeste de França, no Festival de Salzburgo, na Áustria, e na Metropolitan Opera House, em Nova Iorque.

Michel Sénéchal fundou, com o maestro Georges Prêtre, a associação "L'Art du Chant Français", que visa a defesa e promoção do património lírico da França.