O músico português Carlos Nobre está ainda a alguns meses de completar quarenta anos, mas a idade redonda dá o mote ao álbum a solo que edita esta segunda-feira, intitulado «Quarenta».

Carlos Nobre, 39 anos, já se apresentou como Pacman, nos Da Weasel, criou o projeto a solo Algodão, integrou o trio 5-30 e recupera agora o altergo Carlão, que usou em Os Dias da Raiva, para lançar um novo álbum.

«Quarenta», que conta com a participação de vários músicos, como Sara Tavares, Fred Ferreira, Regula e Branko, «foi escrito na ressaca dos 5-30», grupo hip hop criado em 2014, explicou Carlos Nobre à agência Lusa.

O músico conta que, à medida que foi escrevendo as letras, percebeu que a questão da idade, em particular a celebração de 40 anos, estava muito presente na cabeça.
 

«Houve uma altura em que achava que nem alcançaria esta idade ou achava que chegando aos 40 as coisas estariam estagnadas. Mas a verdade é que estou com uma pica renovada de fazer coisas. Tenho esse estatuto de casado, pai de filhos, mas não tem nada a ver, por exemplo, com a vida dos nossos pais quando tinham 40».


Carlos Nobre - que completa 40 anos em julho - referiu que «Quarenta» é um álbum de hip hop, mas com muitas referências e «aponta em várias direções». As letras são a sua «visão mais ou menos autobiográfica» de «experiências amorosas e relações», um tema que sempre o acompanhou.

É sobre isso que falam os temas «Quarenta», «Os Tais», «Outra casa, outra coisa» e «Não esperes por mim».



Ainda assim, o álbum é também um documento de um tempo, das preocupações sociais do músico neste meio caminho na idade adulta. Oiça-se, por exemplo, «Colarinho branco», na qual Carlão diz:
 

«Farto da tua impunidade sem vergonha
Farto da tua alarvidade que é medonha
Farto da tua mão a mexer no meu bolso
Já vai sendo altura de pagares o reembolso».


Carlos Nobre, há mais de vinte anos ligado à música, ou seja, desde a adolescência, diz agora que não sabe bem quem é o seu público, ainda que lhe perguntem sempre quando é que os Da Weasel - que anunciaram o fim em 2010 - voltam.
 

«Vou ver agora com os concertos, mas parece-me que [o público] é variado. Não são só putos que gostam de hip hop. Pelo single "Os tais" percebo que há aqueles pais jovens, boa onda, que também gostam. Se calhar são esses».


«Quarenta», que tem uma capa assinada pelo artista visual português Vhils (Alexandre Farto), será apresentado ao vivo no dia 23 de abril na discoteca Lux, em Lisboa, e no dia 25 de abril na estação de São Bento, no Porto.

Em julho, Carlão atua na Madeira, no Summer Opening, e em agosto junta-se ao cartaz do festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar.