«13» terá sido mesmo o último álbum dos Black Sabbath, pelo menos a julgar pelas mais recentes declarações da banda. Em entrevista à revista «Classic Rock», citada pela «NME», Ozzy Osbourne e companhia mostraram pouca vontade em voltar a gravar um novo disco.

«Tínhamos prometido um novo álbum há 15 ou 20 anos, e demorámos todo este tempo para lançá-lo. Acho que não vão ver um novo disco nos próximos 20 anos», explicou o sexagenário vocalista dos Black Sabbath.

Por sua vez, o guitarrista Tony Iommi, a quem foi diagnosticado cancro durante as gravações de «13», afirmou ficar satisfeito se este tiver sido o «capítulo final» para os Black Sabbath.

«Gravar o "13" foi uma experiência tão boa e memorável, que, se este for o capítulo final, teremos de ficar contentes com isso», contou.

«Não falámos sobre [fazer um novo disco], não sei se essa seria a coisa certa a fazer. Nem quero imaginar o tipo de expetativas numa próxima vez... Provavelmente teria um ataque cardíaco só de pensar nisso», brincou Iommi.

O baixista Geezer Butler acrescentou ainda que, se a banda voltasse a gravar um novo álbum, «não teria a mesma vibração» que «13», o primeiro disco de estúdio dos Black Sabbath em 18 anos e o primeiro com Ozzy Osbourne desde 1978.

O trabalho lançado em junho alcançou o primeiro lugar da tabela de vendas nos EUA e no Reino Unido, e valeu três nomeações para os prémios Grammy, nas categorias de Melhor Álbum Rock, Melhor Performance Metal («God Is Dead?») e Melhor Canção Rock («God Is Dead?»).