logotipo tvi24

Cais do Sodré com 13 concertos «à borla» esta noite

Os Pontos Negros, The Poppers, Capicua, Chullage, Best Youth e Miúda são alguns dos artistas que participam no evento da Optimus Discos

Por: Redacção / JCS    |   2012-04-12 11:37

Cinco salas no Cais do Sodré, em Lisboa, recebem esta noite, a partir das 21h00, treze concertos de entrada gratuita.

A iniciativa é promovida pela editora Optimus Discos e contará com as atuações d'Os Pontos Negros, The Poppers, Capicua, Chullage, Best Youth e Miúda, entre outros.

O MusicBox, o Lounge, a Pensão Amor, o Velha Senhora e o Europa são os espaços por onde passarão nomes já conhecidos do mundo da música portuguesa, bem como algumas das novas apostas da Optimus Discos.

No próximo dia 23 de abril, a editora portuguesa lançará os novos discos d'Os Pontos Negros, Chullage e Souls of Fire. Os respetivos singles de apresentação estão já disponíveis para download gratuito em OptimusDiscos.com.

Os horários dos concertos desta quinta-feira no Cais do Sodré:

Pensão Amor
- Lucas Bora Bora (21h00)
- The Poppers (22h00)
- Miúda (23h00)

Velha Senhora
- Pedro Cardoso (21h30)
- Hello Atlantic (22h30)

Lounge
- Nice Weather For Ducks (23h00)
- The Doups (00h00)

MusicBox
- Best Youth (22h45)
- Souls of Fire (23h45)
- Os Pontos Negros (01h00)
- Balla Redux (02h00)

Europa
- Capicua (23h30)
- Chullage (00h30)





Partilhar
EM BAIXO: Os Pontos Negros
Os Pontos Negros

Justin Bieber detido por condução perigosa e agressão
Advogado justifica que o descanso do cantor foi «desgraçadamente interrompido pela presença indesejada de um pararazzi»
Faith No More voltam em 2015 com novo disco
Banda norte-americana regressa aos álbuns ao fim de 18 anos
Primeiro festival de música no cinema
«Mudar de vida» é um dos 34 filmes que pode ver a partir de quarta-feira em Lisboa
EM MANCHETE
Jihadistas executam outro jornalista
Estado Islâmico divulga novo vídeo com decapitação de Steven Sotloff (na foto). Carrasco parece ser o mesmo homem britânico
Cavaco recorda as suas palavras sobre o caso GES
«Lista de pedófilos é um incentivo à justiça popular»