Inês Duarte: fado com mornas e jazz

Fadista falou ao IOL Música sobre o seu novo disco, «Este Fado», que conta com a participação de Carlos do Carmo

Por: / Manuel Lino, Paulo Sampaio e Luís Silva (vídeo)    |   5 de Abril de 2012 às 20:09
Não é o seu primeiro disco, mas é certamente aquele que melhor a representa. Depois da estreia em 1999, Inês Duarte regressa agora com «Este Fado».

«Este é um trabalho que me deu o privilégio de cantar o que eu gostava. Sem dúvida que é um cartão de visita daquilo que eu faço atualmente e do que gosto», explicou a fadista em entrevista ao IOL Música.

O novo disco reflete assim a identidade musical de uma cantora que percorre outros caminhos para além do fado tradicional.

«Podemos encontrar uma morna, podemos encontrar outros temas que têm pequenas influências de jazz e de outros estilos musicais. [O disco] acaba por ser uma fusão da música do mundo», contou.

Com poemas originais de Tiago Torres da Silva e Fernando Correia, «Este Fado» conta com a participação musical de vários convidados. O destaque vai inevitavelmente para o dueto de Inês com Carlos do Carmo.

«Eu sempre acompanhei o percurso do Carlos do Carmo e sempre admirei a forma de ele estar na música. E surgiu a hipótese de neste tema, "Dentro de Mim, Lisboa", gravarmos o dueto. Fizemos o convite, o Carlos ouviu o álbum, gostou daquilo que ouviu e aceitou o desafio», recordou, orgulhosa, Inês Duarte.

Apesar de não ter nascido e crescido dentro do fado, foi este o estilo musical em que Inês Duarte decidiu apostar com apenas 13 anos de idade. Um encontro fortuito que se tornou numa paixão.

«Eu ia a ouvir fado no carro (...) e disse à minha mãe: "Eu gosto muito disto. Vou cantar fado". Comecei a ter aulas de canto e comecei a frequentar os concursos de fado amador. Foi assim que começou, quase de uma forma ocasional, mas a sonoridade do fado conseguiu sobressair no meio de tantas.»

Para Inês, «o fado tem uma capacidade incrível de nos fazer viajar por imensos sítios e de nos fazer exteriorizar alguns sentimentos que outros estilos de música não fazem». «E foi isso que o fado fez em mim: inconscientemente quando dei por mim já estava a cantar fado», completou.



PUB
EM BAIXO: Inês Duarte
Inês Duarte
COMENTÁRIOS

PUB
Governo quer todos os criminosos sexuais «longe» das crianças

Condenados por abusar de menores já estavam impedidos de trabalhar com crianças, mas a nova proposta do Governo não exclui que outros criminosos sexuais, de pessoas maiores de idade, também possam ser impedidos de exercer funções. Todos os profissionais em contacto regular com menores vão ter de apresentar registo criminal antes de poderem ser contratados. Executivo alterou proposta para a Base de Referenciação de pedófilos e os pais já não vão poder saber onde vivem os condenados