O festival de música Alive começa hoje, no Passeio Marítimo de Algés, com um arranque já esgotado, sendo esperadas cerca 55.000 pessoas para ver vários regressos a Portugal, como Muse, Ben Harper, Alt-J e Metronomy.

A organização do festival Nos Alive, no Passeio Marítimo de Algés, anunciou, entretanto, as datas da próxima edição, poucas horas após o arranque - será de 07 a 09 de julho de 2016. Os bilhetes para 2016 também serão postos à venda hoje, mas não foi anunciado qualquer nome do cartaz.

O Nos Alive cumpre a nona edição com mais de 130 atuações em seis palcos, entre as 15:00 e as 04:00. Será uma enchente de música, sobretudo pop rock e eletrónica, mas também com espaço para atuações de humoristas.

Hoje as atenções deverão virar-se para o trio rock britânico Muse, que tem andado em digressão com "Drones", um álbum conceptual sobre vigilância e a relação entre homens e máquinas, e do qual já incluiram ao vivo temas como "Psycho" e "Dead inside".



No mesmo palco de Muse estarão ainda o músico norte-americano Ben Harper, de regresso aos palcos com os Innocent Criminals, depois de uma ausência de sete anos, e os Alt-J, outro trio britânico, que, em 2013, foi recebido em euforia neste mesmo festival.

Ainda sobre regressos ao Alive, na tenda Heineken estarão os Django Django, os Metronomy e Jessie Ware, todos com álbuns novos. No palco maior há a registar a estreia em Portugal do cantor James Bay, 24 anos, revelação da música indie pop britânica e que se estreou em março com "Chaos and the calm".

Há ainda mais quatro palcos espalhados pelo recinto, entre quais um num coreto, feito sobretudo de música portuguesa, e outro dedicado à comédia e ao humor. Neste, hoje, estará Manuel João Vieira.

Até sábado, pelo Alive vão passar dezenas de artistas - que obrigarão a muitas escolhas - entre os quais Prodigy, Mumford & Sons, The Jesus & Mary Chain, James Blake, Future Islands, Sam Smith, Chet Faker, os portugueses Dead Combo, Batida, Capicua, X-Wife e Cave Story.



Durante o festival, haverá condicionamento de trânsito na zona envolvente do recinto, na avenida Marginal e no troço da avenida Brasília, entre a zona da Fundação Champalimaud e o viaduto da CRIL, onde será proibido estacionar.

O troço final da CRIL, que dá acesso ao recinto, será cortado ao trânsito depois das 04:00 - por ser esperado um maior fluxo de pessoas a sair do festival - para garantir "assim a passagem do público diretamente para Algés".

A CP vai reforçar a oferta de comboios na Linha de Cascais, com destino ao Cais do Sodré e a Cascais, entre as 02:15 e as 05:15. Para quem vive noutras regiões do país, naquele período haverá ainda um comboio especial Intercidades que parte de Lisboa (Santa Apolónia) às 3:30.