O guitarrista José Luís Nobre Costa, de 65 anos, que, entre outros acompanhou Alfredo Marceneiro, morreu esta madrugada, no Instituto Português de Oncologia, em Lisboa, disse à agência Lusa fonte próxima da família.

José Luís Nobre Costa, natural de Lisboa, começou a aprender a tocar guitarra portuguesa aos 15 anos, e fez parte do grupo de amadores fadistas Os Feiticeiros do Fado, que se reuniam nos restaurantes Pote e A Alga, em Lisboa.

Em 1969 profissionalizou-se integrando o elenco de instrumentistas da casa típica O Faia, no bairro em Lisboa. Neste mesmo ano estreou-se na televisão acompanhando Alfredo Marceneiro.

D'O Faia passou para a Taverna do Embuçado, em Lisboa, onde, entre outros, acompanhou João Ferreira-Rosa, e foi mais tarde guitarrista exclusivo do Casino Estoril.

Como guitarrista, entre outros espaços, tocou no Forte D. Rodrigo e Arreda, em Cascais, e mais tarde fez parte de Adega, também em Lisboa, onde acompanhou Maria João Quadros.

Em 1994 integrou o elenco do musical «Fados», de Ricardo Pais, com o qual além de ter atuado em Lisboa e no Porto, subiu à cena em Espanha e França. O músico fez também parte do elenco do filme «Fados»(2007), de Carlos Saura.

Em 1999 participou no CD «Fado por Timor» e deslocou-se aquele país, integrando a comitiva do Presidente da República Jorge Sampaio.

Nobre Costa fez parte do projeto Quatro Cantos com os músicos Armando Figueiredo e Francisco Gonçalves, e os fadistas Maria Armanda, António Pinto Bastos, Teresa Tapadas e José da Câmara.

Nos anos de 2001 e 2002 fez parte do corpo docente do Museu do Fado.

Ao longo da sua carreira acompanhou vários fadistas, nomeadamente Argentina Santos, João Braga, Rodrigo, Lucília do Carmo, Ana Rosmaninho, Manuel de Almeida, Helena Tavares, Carlos Zel, Maria Valejo, Frei Hermano da Câmara, Lenita Gentil, Maria Amélia Proença, Julieta Estrela, Mafalda Arnauth, Raquel Peters, Cuca Roseta e Tânia Oleiro.