O cantor brasileiro Nelson Ned, de 66 anos, intérprete de êxitos como «Tudo Passará» ou «Domingo à tarde», morreu, este domingo de manhã, num hospital em S. Paulo, anunciou a imprensa local.

De acordo com o jornal «Globo», o cantor morreu no Hospital Regional de Cotia, em São Paulo, onde estava internado desde sábado com pneumonia. Nelson Ned foi vítima de um «choque séptico, sepse, broncopneumonia e acidente vascular cerebral».

Em 2003 o cantor sofreu um acidente vascular cerebral e desde então tinha problemas de locomoção e cognitivos, estando afastado dos palcos há cerca de sete anos.

O «pequeno gigante da canção» como a ele se referiu o ator Paulo Gracindo, epíteto que passou a ser usado pela imprensa pelo facto de medir 1,12 metros, gravou 32 discos em português e espanhol. Nelson Ned vendeu 45 milhões de cópias em todo o mundo, tendo atuado com êxito não só no Brasil como em vários países da América Latina, nomeadamente no México, e também em Portugal, Espanha, Angola e Moçambique.

O intérprete de «Domingo à tarde» esgotou por três vezes o Carnegie Hall, em Nova Iorque. Nelson Ned foi o primeiro latino-americano a vender um milhão de discos nos Estados Unidos, onde atuou no Madison Square Garden, ao lado de Julio Iglesias e Tony Benett.