O ex-teclista do grupo de rock industrial Nine Inch Nails (NIN), James Woolley, morreu no último fim de semana. O anúncio foi feito pela ex-mulher, no Facebook.

Kate Van Buren, ex-mulher do músico, escreveu um post onde deu a conhecer a história de ambos e, no fim, informou que James Woodley tinha morrido, porque "gostava que os amigos soubessem para incluir nas orações, Brendan, Mary e Anne", os filhos do músico. 

De acordo com a The Rolling Stone, as causas da morte do músico são, para já, desconhecidas.

Woolley fez parte da banda de rock industrial Die Warzau e, em 1997, juntou-se aos Nine Inch Nails, para ocupar o lugar de Lee Mars.

Com os NIN, participou no festival Lollapalooza, no Brasil, e deu som ao teclado na "Self Destruct Tour" (1994-1996), uma digressão de apoio ao segundo álbum da banda de rock, "The Downward Spiral" (1994).

James Woodly não teve lugar nos créditos, em nenhum dos trabalhos, mas pode ser visto nos vídeos de "Wish" (2002) e de “March of the Pigs” (1994).

O ex-teclista foi também vencedor de um Grammy, na categoria de melhor performance de metal, pela apresentação no tema “Happiness is Slavery” (1992), também dos NIN. 

Woolley deixou os NIN em dezembro de 1994, tendo sido substituído por Charlie Clouser. No entanto, deu continuidade à carreira de músico como vocalista no grupo Judas Priest, uma banda britânica de heavy metal.