O cantor cabo-verdiano Bana morreu este sábado, de madrugada, aos 81 anos, vítima de doença prolongada, segundo confirmação de fonte oficial à agância Lusa.

Bana faleceu no hospital Beatriz Ângelo, em Loures.

Bana, de nome completo Adriano Gonçalves, 81 anos, foi um dos nomes que mais ajudou a projetar a música de Cabo Verde no mundo, desempenhando um papel fundamental como agente da cultura do arquipélago.

Bana nasceu em 11 de março de 1932, no Mindelo, São Vicente, Cabo Verde. Gravou mais de meia centena de discos, ao longo da sua carreira, iniciada em 1942, com apenas dez anos, nas ruas e cafés da cidade que o viu nascer.

O corpo de Bana estará em câmara ardente na Igreja de Benfica.

O funeral do músico cabo-verdiano Bana vai realizar-se na segunda-feira, em Lisboa, informou a embaixada de Cabo Verde.

Com mais de 70 anos de carreira, gravou mais de 50 álbuns e viajou e levou a música cabo-verdiana aos quatro cantos do mundo.

De entre a sua discografia, destacam-se «Canto de Amores» (2006), «Livro Infinito» (1999), «Bana ¿ A Voz de Cabo Verde» (1991), «Perseguida» (1989), «Gira Sol» (1988), «Grito d¿Povo» (1985), «O Encanto de Cabo Verde» (1982) e «Morabeza» (1981), como escreve a RCV.

Leia aqui o perfil de Bana.

Presidente de Cabo Verde já reagiu oficialmente à morte do «Rei» e lamentou a perda de «uma voz ímpar». O governo de Cabo Verde decreta dois dias de luto nacional.