A fadista Mariza apresenta esta segunda-feira, em Lisboa, numa conversa com a atriz Margarida Marinho, o CD que regista os temas que considera obrigatórios nos seus concertos, como explicou em entrevista à Lusa.

O CD tem duas edições, uma com um CD com 20 temas e outra, «especial», constituída por dois CD, que inclui mais um disco com 12 temas escolhidos pelo público, através da Internet.

«Os 17 temas do álbum da edição normal são aqueles que, nos concertos, não posso deixar de cantar, eles têm de lá estar, senão as pessoas ficam tristes. É o caso de 'Cavaleiro monge', 'Meu fado meu', 'Rosa Branca', 'Ó gente da minha terra' ou 'Chuva', que são os que já estão à espera que os cante», afirmou Mariza à Lusa.

O CD «Best of» de Mariza, editado pela Parlophone, é composto por 20 temas, 17 dos quais gravou ao longo da carreira, o inédito «O tempo não para», de Miguel Gameiro, e duas versões, designadamente de Alberto Janes, «É ou não é», e de Charles Chaplin, «Smile», do repertório de Nat King Cole.

Mariza conversa sobre o CD e a carreira com Margarida Marinho, hoje às 17:00, na FNAC do Chiado, em Lisboa.

O CD «Best of» reflete que «ao longo destes 13 anos há músicas que as pessoas não querem deixar de ouvir», disse a fadista. Fazendo um balanço dos 13 anos de carreira, afirmou que «foi muito intensa e passou muito depressa».

«Parece que aconteceu ontem, foi muito intenso e, se não tivesse sido obrigada a parar, continuaria com aquele ritmo louco de 120 a 130 concertos por ano e nem este CD teria acontecido», afirmou.

Fazem parte do «Best of» temas criados por Mariza como «Há uma música do povo», «Recusa», «Feira de castro» e «Há palavras que nos beijam», ao lado de temas do repertório «Amaliano», entre os quais «É ou não é», «Maria Lisboa», «Primavera», «Medo» e «Oiça lá, ó Senhor Vinho». Inclui ainda «Menino do bairro negro», de José Afonso, que Mariza gravou no seu CD de estreia, e os fados «Loucura» e «Promete Jura».

Quanto aos doze temas escolhidos pelo público, e que constituem um segundo CD da edição especial, encontram-se «Quando me sinto só», «O silêncio e a guitarra», «As meninas dos meus olhos», «Que Deus me perdoe», «Há festa na Mouraria», «Transparente», «Poetas», «Minh'Alma», «Fado Curvo», «Já me deixou», «Vielas de Alfama» e a morna «Beijo de saudade».