O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira que no próximo ano deverá realizar-se “uma homenagem em grande” ao guitarrista Zé Pedro, que morreu na quinta-feira aos 61 anos.

Há ideias para, na primavera ou verão, fazer uma homenagem em grande como ele gostava que fosse, com alegria, com muita gente, de todas as gerações interpretando o que ele deu aos portugueses: uma vida inteira", disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, depois de ter prestado homenagem ao músico, esta sexta-feira em Lisboa.

Centenas de pessoas, entre amigos e anónimos, passaram desde as 16:00 desta sexta-feira pelo antigo Museu dos Coches em Lisboa, onde decorreu o velório do guitarrista Zé Pedro. A fila de pessoas para entrar no local, e prestar uma última homenagem ao músico, estende-se por vários metros acima na Calçada da Ajuda.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que esteve presente para prestar a “enorme gratidão” a um músico “que deu alegria a milhares de portugueses”. Nessa homenagem, o chefe de Estado espera “que estejam presentes os ídolos musicais da vida dele”.

Os músicos Manuel João Vieira, Samuel Úria, Sandra Baptista, Nuno Rafael, Pedro Gonçalves, Gimba, Jel, o editor David Ferreira, o produtor Ramon Galarza, a empresária Roberta Medina, o promotor Nuno Brancaamp e o realizador Joaquim Leitão foram algumas das pessoas ligadas à música que estiveram presentes.

Parece mentira que tenha morrido", disse Manuel João Vieira aos jornalistas, enquanto Jel recordou "um amigo" "que deixa um vazio".

"Esteve presente nos bons e nos maus momentos. É como se fosse da família", disse à Lusa Elsa Caleira, fã dos Xutos, esclarecendo que nunca conheceu Zé Pedro, mas viu mais de 200 concertos do grupo

Pelo velório passaram também o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, a dirigente do BE, Catarina Martins e, também do BE, Ricardo Robles e José Manuel Pureza.

O velório do fundador dos Xutos e Pontapés termina as 00:00 desta sexta-feira e o funeral realiza-se sábado: haverá uma missa no Mosteiro dos Jerónimos e depois uma cerimónia reservada à família. O corpo será sepultado no Cemitério dos Olivais.