O rapper francês Mone Lakame, de 35 anos, escreveu uma canção de homenagem a Maëlys de Araújo, a menina lusodescendente assassinada em França. O músico diz que escreveu a canção como se a estivesse a escrever para o próprio filho. Postou um vídeo na internet, que foi partilhado pela mãe de Maëlys e tornou-se já num fenómeno das redes sociais em França. Em quatro dias, teve quase 600 mil visualizações.

Mone Lakame explicou ao jornal 20 minutes que o caso o marcou muito:

Vivemos essa história como se estivéssemos lá, segundo a segundo. Eu sou o pai de um menino e eu tive a impressão de que, através de Maëlys, também tinham raptado o meu filho. Quando ele [Nordahl Lelandais] confessou tê-la morto, isso incomodou-me. Pensei nisso toda a noite e, pela manhã quando acordei, fui ao meu pequeno estúdio para compor essa música. Surgiu assim, sem pensar demais. Escrevi como se fosse minha filha, como um grito do coração.”

O músico foi contactado por um primo e pela tia de Jennifer Cleyet Marrel, a mãe de Maëlys, que lhe agradeceram a homenagem. Mone Lakame diz nem conseguir imaginar a “dor indiscritível” que os pais da menina estão a atravessar.

 

 

Quando escreveu a canção, Mone Lakame não esperava tamanho alarido em torno dela. Confessa que chegou a hesitar em pô-la em linha, por medo de criar “malentendidos” e de alguém achar que se quisesse aproveitar de tamanho drama familiar. “Falei com a minha mulher e chegámos à conclusão que as pessoas não são assim. Os meus vídeos, normalmente, têm umas mil visualizações. Pensei que isto fosse ficar entre o meu grupo restrito de amigos e que, se houvesse reações más, retirá-lo-ia imediatamente”, disse.

Foi a partilha por parte da mãe da menina que impulsionou o sucesso que a música está a ter. Foram o primo e a tia-avó de Maëlys que acabaram por incentivar o músico a manter o vídeo online.