O derradeiro dia do Alive!09 trouxe ao Palco Super Bock duas grandes actuações. Os galeses Los Campesinos! espalharam alegremente a sua indie pop pelo público que encheu a tenda pelas 19h40, e a sueca Lykke Li voltou a mostrar o poder das suas actuações ao vivo

Os sete meninos e meninas de Cardiff contagiaram a audiência com temas como «Sweet Dreams, Sweet Cheeks». Nesta última canção do alinhamento, o vocalista Gareth experimentou o crowd surfing sobre os fãs e chegou mesmo a escalar a pilha de colunas numa das laterais do palco.

Rock vs hip hop

Antes do concerto dos Los Campesinos!, os X-Wife e os A Silent Film já tinham actuado perante assistências generosas. Estas foram boas alternativas rock ao hip hop e R&B de Boss AC no palco Optimus.

Descobre como foi o último dia no palco principal

Pouco convincente foi a apresentação de Trouble Andrew. O namorado de Santigold dá nas vistas na hora de se vestir, mas nem tanto com a sua música. A julgar pelo número de pessoas que fizeram questão de assistir ao concerto, o talento de Trouble Andrew é mesmo o snowboard e o skating.

Microfone numa mão, baqueta na outra

Às 23h40, foi a vez da sueca Lykke Li voltar a apresentar o disco de estreia «Youth Novels», após a participação no Super Bock em Stock, em Dezembro.. De microfone numa mão e baqueta na outra, a cantora que já viveu em Portugal atacou pratos e bombos em «Everybody But Me» e «I'm Good, I'm Gone» - este último, um dos temas mais aplaudidos da noite.

A serpenteante Lykke teve tempo para trocar algumas palavras em português com a assistência e apresentou ainda um novo tema a incluir no próximo álbum de estúdio. Segundo contou em entrevista ao IOL Música, a cantora está a trabalhar novamente com Björn Ytting, dos Peter Bjorn and John.

A sueca de 23 anos impressiona pelo poder e presença em palco quase impensáveis quando vindos de uma figura tão franzina como a sua. Certamente um dos melhores concertos que o Palco Super Bock recebeu durante todo o festival.

Fotos:



Dançar, dançar e dançar... até ao fim

Já com a Dave Matthews Band na maratona de quase 3 horas no Palco Optimus, os Ghostland Observatory foram opção válida, juntamente com DJ Kitten no Palco Optimus Discos, para todos os que preferiram terminar o festival em ambiente de discoteca.

Festival regressa a 8, 9 e 10 de Julho de 2010

Misturando electro com elementos de rock, a actuação da dupla norte-americana saltou à vista pelos coloridos lasers utilizados e pela capa prateada que Thomas Ross Turner envergou.

A Deadmau5 coube a tarefa de encerrar oficialmente a terceira edição do festival. O DJ Joel Zimmerman deixou as orelhas à Rato Mickey ao seu lado enquanto os festivaleiros mais resistentes dançaram ao som de house, techno e trance.