Chris Brown e o seu guarda-costas foram detidos pela polícia, na madrugada desta segunda-feira, pela alegada agressão a um homem em Washington DC, noticia a agência Reuters.

Por estar ainda em período de liberdade condicional, pelo incidente da agressão a Rihanna, em 2009, o cantor norte-americano arrisca ter de cumprir uma pena de prisão efetiva, caso seja provada esta nova agressão.

Tanto Brown como o seu guarda-costas ficaram detidos até serem ouvidos em tribunal durante a tarde desta segunda-feira.

Segundo o relatório policial, tudo aconteceu quando Parker Adams, de 20 anos, tentou aparecer numa foto que Chris Brown tirava com duas fãs, junto do autocarro de digressão do músico.

Brown não terá gostado da brincadeira de Adams e exclamou «Não gosto dessas m***** gay» e «Estou com vontade de lutar boxe» antes de esmurrar o homem na cara. O guarda-costas do cantor repetiu a mesma agressão e encaminhou Chris Brown para dentro do autocarro.

Parker Adams sofreu várias lesões na cara, incluindo uma fratura no nariz, e teve de receber tratamento hospitalar.

Em 2009, Chris Brown foi condenado a cinco anos de pena suspensa, e seis meses de trabalho comunitário, mas em julho deste ano, após um acidente de viação, a sua liberdade condicional esteve em perigo. Porém, o músico concordou em realizar mais mil horas de trabalho comunitário para evitar arriscar uma pena de prisão efetiva.