A polícia de Seattle, nos Estados Unidos, divulgou, na quinta-feira, as fotografias da arma recuperada na casa em que morreu Kurt Cobain, o líder dos Nirvana, desaparecido há 22 anos. A polícia acordou revelar imagens da arma para, desse modo, acabar com a especulação de que a espingarda tinha sido derretida, de forma a destruir as provas de um eventual homicídio.

A polícia tem sempre afastado a teoria de homicídio.

As fotografias mostram planos apertados da arma e o detetive da polícia, que está neste momento encarregue do caso, segurando a arma, confirmando a atualidade das imagens.

Ao longo dos anos, a polícia divulgou vários relatórios sobre a morte da estrela da música e algumas fotografias com o material usado para se injetar com heroína que estavam junto ao corpo, mas nunca as imagens da arma com que Cobain aparentemente desferiu o tiro fatal.

Embora já tenha passado mais de duas décadas, muitos fãs não se conformam com a tese de que Cobain se suicidou com 27 anos.

Tom Grant, por exemplo, um detetive privado contratado por Courtney Love, mulher de Kurt Cobain, em abril de 1994, disse à CBS que a “polícia de Seattle deliberadamente escondeu os resultados da investigação. O caso precisa de ser alterado de suicídio para homicídio”.