Justin Bieber lança disco de Natal em Outubro

Em «Under The Mistletoe», cantor canadiano junta-se a Mariah Carey para o dueto «All I Want For Christmas Is You»

Por: Redação / JCS    |   6 de Outubro de 2011 às 14:53
Justin Bieber vai lançar um disco de Natal no dia 31 de Outubro. Em «Under The Mistletoe», o jovem artista canadiano junta-se a Mariah Carey para o dueto «All I Want For Christmas Is You», tema lançado pela cantora em 1994 e que se tornou num verdadeiro clássico natalício.

Usher, Boyz II Men, The Band Perry e Busta Rhymes são os restantes convidados de um disco que inclui canções tradicionais de Natal com inéditos escritos por Justin Bieber e a dupla de produtores The Messengers (autores do single «Never Say Never»).

Para além da versão CD, «Under The Mistletoe» estará disponível numa edição Deluxe em formato CD/DVD que inclui 25 minutos de filmagens de bastidores, o teledisco de «Pray» e quatro canções extra.

«Mistletoe», o single de apresentação do disco, será lançado a 18 de Outubro e o respectivo videoclip foi gravado na semana passada no Tennessee, EUA.

O alinhamento de «Under The Mistletoe»:

1. Only Thing I Ever Get For Christmas

2. Mistletoe

3. The Christmas Song (Chestnuts Roasting On An Open Fire) feat. Usher

4. Santa Claus Is Coming To Town

5. Fa La La feat. Boyz II Men

6. Christmas Love

7. All I Want For Christmas Is You feat. Mariah Carey

8. Drummer Boy feat. Busta Rhymes

9. All I Want Is You

10. Fa La La (acapella) feat. Boyz II Men [edição Deluxe]

11. Christmas Eve

12. Home This Christmas feat. The Band Perry

13. Silent Night [edição Deluxe]

14. Pray [edição Deluxe]

15. Someday At Christmas [edição Deluxe]
Partilhar
FOTOGALERIA:
Justin Bieber brilha na Europa

Justin Bieber nos BET Awards 2011 (Reuters) EM CIMA: Justin Bieber nos BET Awards 2011 (Reuters)
COMENTÁRIOS

PUB
Governo garante: «Não haverá medidas excecionais» este ano

Secretário de Estado Adjunto e do Orçamento, Hélder Reis, reiterou esta terça-feira que a meta do défice orçamental acordada com os credores internacionais, de 4% do PIB no final de 2014, se mantém. Objetivo será alcançado sem recurso a mais penalizações para o bolso dos portugueses