O pai de Michael Jackson "castrou quimicamente" o cantor para que nunca perdesse a voz aguda. A revelação é feita pelo médico Conrad Murray.

De acordo com os tablóide britânico The Sun, o médico pessoal do cantor, de 65 anos, alega que Joe Jackson, que morreu em junho, deu a Michael injeções de hormonas, aos 12 anos, para "curar o acne e prevenir que a voz [do jovem] ficasse mais grossa"

Conrad Murray, que foi condenado a quatro anos de prisão pelo homicídio involuntário de Michael Jackson, acusa o patriarca do clã Jackson de ser "cruel" com todos os filhos, mas de se ter "esmerado" com Michael.

Joe Jackson foi um dos piores pais da história”. (...) "Não tenho palavras para descrever o horror de alguém castrar quimicamente o filho para que não perca a voz aguda", afirmou o médico.

Conrad Murray já tinha falado do tema pela primeira vez no seu livro “É isto! As vidas secretas de Dr. Conrad Murray e Michael Jackson”, publicado em 2016.

Numa entrevista em 1993, Michael Jackson contou à apresentadora de televisão Oprah Winfrey que tinha sofrido abusos do pai. O artista contou que o pai se sentava com um cinto nas mãos enquanto ele e os irmãos Jackie, Tito, Jermaine e Marlon ensaiavam para a banda The Jackson Five. 

Se não o fizessemos bem, ele fazia-nos sofrer, sabia perfeitamente como o fazer", disse, na altura, Michael Jackson.

O Rei da Pop morreu no dia 25 de junho de 2009, aos 50 anos, devido a uma overdose de propofol e outros sedativos, administrados por Conrad Murray.

O filho mais velho de Michael Jackson já veio a público defender o avô. Prince Michael Jackson I realçou que tudo o que se tem dito sobre Joe Jackson são "mer***" e sublinhou que o avô foi um grande homem na forma como criou os filhos.

Continuem a dizer o que quiserem, que ele abusou do meu pai. O meu avô criou bem os filhos, caso contrário, fariam parte de gangues ou estariam mortos.”