Festa, festa e mais festa. Foi desta forma que terminou a sexta edição do Rock in Rio em Lisboa.

Justin Timberlake surgiu do chão para animar as 80 mil pessoas que o esperavam - dados da organização avançam que 76% do público veio até à Bela Vista para ver o cantor norte-americano - e a audiência não desiludiu. Êxitos como «Rock Your Body», «My Love», «TKO», «Cry Me A River», «Human Nature» (uma homenagem a Michael Jackson), «What Goes Around», «Sexy Back» e «Mirrors» puseram a multidão a cantar a uma só voz.

Mas nem só de música se fez o espetáculo. O artista, que se mostrou espantado por ter tanta gente à sua frente, deu um verdadeiro show de dança acompanhado pelos Tennessee Kids.

«Oh Portugal, eu também vos amo. Vocês são lindos! Tenho de absorver este momento. Só os portugueses conseguem fazer isto. Estamos muito contentes por estar aqui em Lisboa», afirmou Timberlake antes de pedir um aplauso para todos os artistas que atuaram nesta edição e para a organização.

Depois, tal como em dias anteriores, o público respondeu afirmativamente ao pedido do cantor e «iluminou» a Bela Vista com os telemóveis enquanto Justin Timberlake encantava a plateia com «Until The End of Time».

O concerto do norte-americano foi antecedido pela britânica Jessie J. A confessa fã de Timberlake foi a primeira grande estrela da noite e não desiludiu. A cantora britânica entrou em palco sob uma chuva de aplausos, mas foi na segunda música - «Domino» - que a multidão entrou em histeria. A partir deste momento, o concerto ganhou ânimo e culminou em êxtase com a música «Price Tag».

Sem esquecer de onde veio - a cantora ficou famosa pelas músicas que publicava no Youtube e por escrever letras para outras celebridades - Jessie J afirmou que o seu orgulho é o público e por isso mesmo apresentou uma música «em primeira mão». A cantora agradeceu ainda a Justin Timberlake por lhe ter dado a confiança de que precisava.

«Quero agradecer ao Justin Timberlake. Quando lancei o primeiro álbum foi muito estranho, diziam tanta coisa sobre mim e eu pensava: "será que sou tão boa como eles dizem que eu sou?" O Justin disse que "A Jessie J é a melhor cantora do mundo" e deu-me a confiança que eu precisava. Ele não tinha de o fazer, mas fê-lo. E estar aqui, quatro anos depois, a fazer o concerto de suporte para ele, que é um dos melhores performers do mundo.... Obrigada Justin!», afirmou a cantora antes de «Nobody's Perfect».

Um dos momentos altos da sua atuação foi quando a cantora desceu até à plateia para cantar «Who You Are», chegando mesmo a levar um fã, que assistia ao concerto na primeira fila, às lágrimas.

Coube a Mac Miller, rapper norte-americano, aquecer o público para as atuações a seguir. Reconhecido pelo seu talento como freestyler, o artista de 22 anos conseguiu animar as cerca de 65 mil pessoas que enchiam o parque da Bela Vista numa tarde de sol. Mac Miller subiu ao Palco Mundo no lugar de Nile Rodgers e da banda CHIC, que, devido a um imprevisto, foram forçados a cancelar o concerto no Rock in Rio Lisboa.

João Pedro Pais subiu ao palco perto das 19 horas e perante um público de 55 mil pessoas não desiludiu. Êxitos como «Não há» e «Ninguém como tu» fizeram as delicias do público antes de Jorge Palma se juntar ao cantor.

«É um enorme prazer estar aqui e poder convidar um enorme amigo», anunciou João Pedro Pais antes de soarem os primeiros acordes de «Frágil». Pedindo ao público «o favor de serem felizes», o cantor português cantou ainda «Mentira» e «Nada de Nada» que levou o público a cantar em uníssono.

Antes, foi a vez de Kika subir ao palco e encantar o auditório natural da Bela Vista com êxitos como «Love Will Take Us Higher» e «I Want You Back».

Terminou assim a sexta edição do Rock in Rio Lisboa, certame que desde o seu início já contou com mais de 2 milhões de pessoas no parque da Bela Vista.