Mulheres dominam nomeações nos Ivor Novello Awards

Adele, PJ Harvey e Kate Bush concorrem entre si pelo prémio de Melhor Álbum

Por: Redação / JCS    |   17 de Abril de 2012 às 18:07
A lista de nomeados para os Ivor Novello Awards 2012 é dominada por artistas femininas. Pela primeira vez, a categoria de Melhor Álbum será disputada apenas por mulheres: Adele, PJ Harvey e Kate Bush.

Para o prémio de Melhor Canção, o único artista masculino a intrometer-se entre Adele e Florence & the Machine é Ed Sheeran com «The A Team».

A situação oposta existe na corrida ao prémio de Melhor Canção Contemporânea com a norte-americana Lana Del Rey a ser a única mulher entre os restantes nomeados, a dupla Nero e o britânico James Blake.

Os Ivor Novello Awards são entregues a 17 de maio numa cerimónia a realizar em Londres.

A lista completa dos nomeados:

Melhor Canção (musicalmente e liricamente)

- «Rolling In The Deep», Adele

- «Shake It Out», Florence & the Machine

- «The A Team», Ed Sheeran

Melhor Canção Contemporânea

- «Promises», Nero

- «The Wilhelm Scream», James Blake

- «Video Games», Lana Del Rey

Melhor Álbum

- «21», Adele

- «50 Words For Snow», Kate Bush

- «Let England Shake», PJ Harvey

Melhor Banda Sonora Original

- «Life In A Day»

- «The First Grader»

- «We Need To Talk About Kevin»

- «Best Television Soundtrack»

- «Leonardo»

- «Page Eight»

- «The Shadow Line»

PRS For Music Most Performed Work

- «Rolling In The Deep», Adele

- «Someone Like You», Adele

- «The Flood», Take That





Partilhar
FOTOGALERIA:
Adele
PJ Harvey na Aula Magna

Adele canta «Someone Like You» nos MTV Video Music Awards 2011 EM CIMA: Adele canta «Someone Like You» nos MTV Video Music Awards 2011
COMENTÁRIOS

PUB
Governo «desconfortável» com a situação dos professores

Quase 10% dos horários das escolas abrangidas pela bolsa de contratação continuam sem docentes. Ministério da Educação revela que há 250 horários por preencher. «Nós estamos desconfortáveis porque aquele trabalho não deveria ter sido feito e detetou um erro e esse erro é lamentável», admitiu o secretário de Estado