Um grupo religioso do Senegal declarou a estrela pop Rihanna persona non grata neste país, onde tem viagem marcada na próxima sexta-feira para participar numa conferência sobre educação, juntamente com o presidente francês, Emmanuel Macron.

O grupo “Não à maçonaria e à homossexualidade” acusa a artista de ser membro dos Illuminatti e de ir ao país participar numa reunião da maçonaria, que aconteceria na mesma data do que esta conferência sobre educação.

Rihanna chega ao Senegal esta sexta-feira, no seu papel como embaixadora mundial da Parceria Global para a Educação, uma entidade que trabalha para financiar a educação de crianças e adolescentes em países em desenvolvimento.

De acordo com o diário senegalês “Jeune Afrique”, o porta-voz do grupo já declarou que serão realizados protestos desde a saída da cantora do avião até à conferência.