Mais de 33 mil pessoas são esperadas no Boom Festival, que começa esta quinta-feira, em Idanha-a-Nova, onde este ano a organização e a autarquia local levaram a cabo uma campanha de recrutamento de trabalhadores da região.

Produzido localmente, o Boom Festival é um evento mundial, de grande projeção internacional. De dois em dois anos, traz milhares de pessoas ao município [Idanha-a-Nova], a maioria, estrangeiros, o que acreditamos ser dos melhores cartões-de-visita na promoção, quer do país, quer do concelho", explicou o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto.

Este ano a organização do festival, que decorre até ao dia 18 de agosto, quis ir ainda mais longe e levou a cabo, numa ação desenvolvida com a Câmara de Idanha-a-Nova e as juntas de freguesia do concelho, uma campanha de recrutamento de trabalhadores locais que reflete também a consciência social do evento.

Além de apoiar logisticamente a organização do Boom Festival, o autarca realça ainda o impacto que este tem na economia local, com repercussões nos setores da hotelaria, restauração, comércio e serviços, não só no concelho de Idanha-a-Nova, como nos concelhos vizinhos.

Este é um evento que envolve toda a população local: "Seja através dos organismos públicos ou do comércio, a população do concelho [Idanha-a-Nova] está, de alguma forma, envolvida no evento. Sente-o como seu. E o carinho é retribuído pela organização", disse.

O autarca sublinha ainda que a convivência entre os 'boomers' e a população local é, regra geral, harmoniosa e caracteriza-se pelo respeito mútuo.

A 11.ª edição do Boom Festival conta com a presença de pessoas de 162 países, sendo que 90 por cento do público é estrangeiro e, deste, o francês é o que tem maior expressão.

Este ano, o país convidado é o Japão, de onde vêm cerca de 500 pessoas.

O evento está esgotado desde dezembro e os 33.333 bilhetes disponíveis foram vendidos em apenas 34 dias.